Thursday, May 31, 2007

HOJE



Depois de dois dias de céu azul (coisa rarissima em Macau) salpicados por nuvens brancas de algodão, com boa visibilidade, a perder no horizonte e não uns escassos metros (o costume devido à humidade!), o dia amanheceu cinzento. As nuvens cinzentas sempre companheiras das nuvens brancas nestes dois dias derrotaram-nas... deve chover no fim de semana, o costume!

O boneco está um pouco constipado e acordou a gritar que tinha “um buraco do nariz” tapado ;) Um drama!
Lá lhe expliquei que era normal, mas a fita continuou mais algum tempo.
Depois foi levantar e despachar-se com ele a reclamar que estava cansado e não queira ir à escola.

A amorinha já está melhor embora ainda um pouco ranhosa.
Acordei-a, aliás peguei nela e dei-lhe o leitinho ao meu colo e por momentos tenho a sensação de ter o meu bebé nos meus braços. Os olhinhos fechados e a boca à procura da tetina do biberão parece mesmo a minha bebé. Saudades da minha bebé e orgulho da minha menina.

Depois de pronta foi para a sala brincar com o mano enquanto o papá grelhava um bife para o boneco levar para o almoço e eu me despachava.

A amorinha apareceu-me com o frasco do xarope na mão e nem sei como ela o foi buscar, normalmente não deixo os medicamentos “à mão de semear”. Dei-lhe o xarope e deve ter caído mal que saiu xarope, leitinho, tudo!

E até já estávamos todos prontos para sair e tive de lavar e mudar a amorinha e o papá a lavar o chão (fica sempre com este parte ;)) e acabámos por ficar atrasados...
E eu só espero que a constipação do boneco não piore!

Apanha tudo o que a irmã tem, ainda bem que é raro ela estar doente e que ela não apanha o que ele tem! Homens sexo forte, não e?!

Tuesday, May 29, 2007

ATESTADOS POR CONVENIÊNCIA?

Às vezes gostava de saber se há pessoas, mães que gostem de estar em casa de atestado com os filhos doentes?

Já muitas vezes puseram em causa se os meus filhos estão doentes quando os levo às urgências do hospital público, principalmente porque muitas vezes não têm febre.
Ontem voltou a acontecer, a amorinha doente e lá fui ao hospital, cheio de putos pequeninos até à rolha, mas nem esperei muito e percebo porquê. Devo ter esperado uma meia hora e fiquei lá uns 5 minutos.

Ela não tinha febre, ainda estava com o efeito de um supositório colocado 5 horas antes... e gritou e esperneou que se desunhou para o médico a auscultar e tentar ver a garganta.
E ainda me disse que ela estava muito vestida pois estava transpirada (tinha um vestido sem mangas e, como o hospital tem ar condicionado tinha-lhe vestido um casaquinho curto de linha...) Parecia que me estava a acusar que a febre da minha filha era calor...

E disse que a febre já tinha passado e já não ia voltar... Pois, às 11 da manhã ela voltou novamente em força... tal como durante a noite.

A mim deu-me atestado para um dia porque lhe disse que não a podia levar para a creche, tal como hoje não foi mas ela sofre tanto para ir ao hospital que não quero fazê-la passar por aquele stress todo outro vez e aqui estou a trabalhar enquanto ela está em casa com a empregada.

Mas será que há mães que vão ao hospital com os filhos doentes só para ter o atestado?
É que atestados destes eu até me orgulhava de dizer que não tinha tido nenhum (e que eles não tinham estado doentes!!!!)
Fogo, fico mesmo irritada!!!!

Monday, May 28, 2007

AMORINHA DOENTE

Tal como o mano ficou doente nos anos da mana, a mana começou a ficar doente nos anos do mano.
Ontem piorou e à tosse, ranho e falta de apetite juntou-se a febre que se manteve toda a noite.
Esta manhã em vez de ir à creche foi ao hospital e ficamos em casa hoje que o doutor até achava que a febre já não voltava mais pois quando lá estive ainda estava medicada e por isso não tinha febre... sem comentários.
Infelizmente a febre voltou e já levou novo Benuron (uma "tourada" para por, mas enfim...) e agora dorme a sesta...
Espero que amanhã esteja bem!

Saturday, May 26, 2007

5 ANOS

Há 5 anos realizei um dos sonhos mais bonitos da minha vida: ser mãe!
Descobri um amor que não conhecia, que não imaginava que existisse, um amor maior, um amor tão grande, tão pleno que me preenche e me enche a alma!
Há 5 anos que sou mãe de um lindo menino, o menino dos meus sonhos...
Parabéns, meu amor!
Amo-te muito, boneco!

Friday, May 25, 2007

MEME

A queria Amélia da Boca doce passou-me este Meme* e eu tenho andado a pensar nele porque não sei o que escrever. Há tantas coisas que são adequadas, tantas coisas que me dizem tanto...
Finalmente decidi que talvez este tenha mais a ver comigo.

"If you love somebody, let him go
If it comes back to you, it is yours
If it doesn't, it was never yours"


(*) Um 'meme' é um 'gen ou gene cultural' que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma. Simplificando: é um comentário, uma frase, uma ideia que rapidamente é propagada pela Web, usualmente por meio de blogues. O neologismo 'memes' foi criado por Richard Dawkins dada a sua semelhança fonética com o termo 'genes'.

DIA DO BUDA

Passou.
Um dia cheio de sol, muito, muito quente e abafado.
Um dia que começou cedo, tão cedo como se não fosse feriado.
Deixar o boneco na escol a e a amorinha na creche...
O papá que quis ir tomar o pequeno almoço ao café...
A mamã que decidiu tomar um descafeínado com a torrada.
A mesma mamã que não pode tomar café que a deixa mal disposta e de rastos.
Uma conversa animada com uns amigos que estavam no café...
Depois as compras semanais adiantadas... a corrida aos vários supermercados...
Comprar algumas coisas que faltavam para a festinha antecipada do boneco...
Hora de almoço e a mamã cada vez mais mal disposta.
Ir buscar o bolo e a mana à creche para poder ir à festinha do mano.
Amorinha completamente baralhada que chega a casa e não quer dormir, não costuma ser assim... muita birra e finalmente adormece.
O papá aqueceu o almoço que a mamã tenta engolir mas que já não desce, fica "entalado". Não há tempo, entretanto aproxima-se a hora de ir à festa do mano...
Acordar a amorinha que resmunga...
Ir à escola do mano, os coleguinhas excitados com o bolo do homem aranha, o boneco com um sorriso do tamanho do mundo, a amorinha com medo que a deixasse lá a tentar trepar por mim, a mamã super mal disposta...
Valeu a ajuda da mãe de uma colega do boneco pois a minha má disposição e a amorinha não me permitiram ajudar em nada :(
Fim da festa, o boneco quis ir "à Girafa", para a mamã foi regressar a casa com a amorinha que só quer a mamã e prefere ficar em casa a ir passear...
Entrar em casa e começar a vomitar e não só... e assim estive ontem o resto do dia...valeu a Pocari e um pouco de arroz branco cozido sem sal...
Maldito café descafeínado!

Vi e gostei...

Wednesday, May 23, 2007

AMANHÃ É FERIADO

Amanhã é feriado em Macau, dia do Buda.
Amanhã será a festinha de anos do meu boneco na escolinha.
Ele faz anos no sábado e a ideia inicial era fazer um piquenique no Jardim nesse dia.
Tem estado a chover desde sexta-feira, hoje já não chove, voltou o calor abrasador e abafado.
O piquenique deveria ser às 16 horas e a essa hora está muito, muito calor. Não pode ser mais tarde porque o jardim fecha às 18h (uma coisa que não compreendo mas isso daria outro post) e 2 horas nem sequer é assim muito para fazer uma festinha de anos.
Muito provavelmente os coleguinhas do meu boneco não poderiam estar todos presentes e ele dá mais importância a isso que ao sítio e ao dia da festa.
Para complicar ainda mais as coisas, o meu boneco tem hóquei em patins à noite.
Para nós é um pouco estranho festejar antes, mas na cultura chinesa o que dá azar é celebrar depois.
O bolo está novamente encomendado à artista que fez este bolo lindo para a mana.

As prendinhas para dar aos colegas estão compradas (falta embrulhar! – 17 latinhas do Pooh, Mickey, Minnie,...com lápis de cor), vou fazer uns mini muffins para levar e vou levar uns sumos e está a festa feita.
Para quem estranhe ser feriado e ele ter escola é algo muito normal em Macau.
A creche da mana também está aberta e ela irá para lá até à hora da sesta porque depois quero levá-la à festinha do mano.
Sobre o dia do buda, recordo que em 2004 foi a 26 de Maio, aniversário do meu boneco, em 2005 foi a 15 de Maio, data prevista para o nascimento da amorinha e o ano passado a 04 de Maio. O dia do buda celebra-se no oitavo dia da quarta lua. É o dia de aniversário do buda e um dia em que as imagens de Buda são limpas e purificadas um pouco por todo o território, segundo um ritual antigo e tradicional.

Tuesday, May 22, 2007

BILU E LALICA


O meu filho tem bilu.
A minha filha não tem.
A minha filha tem lalica.
O meu filho não tem.
Cá em casa não há plinhas (escrito assim de propósito), nem há ppis (também escrito assim de propósito)
Foi a minha mãe que começou e que quando ele tinha pouco mais de dois meses e eu lhe estava a mudar a fralda lá em Portugal em casa dela, ela veio brincar com ele e fazia bilú-bilú e ele ria-se (como um bebé de menos de 3 meses se ri, mas isso agora não interessa nada).
Tal como o epá nos poupou de muitas situações embaraçosas (e não, ele não gosta do gelado do mesmo nome ;p) penso que também o bilu nos tem livrado de outras.
E quando ela nasceu eu andava a tentar encontrar um substituto para ppi mais bonito e quando vi no blog das Kokinhas a palavra Lalica, resolvi adaptá-la cá para casa, já aceite com sucesso!
ADENDA: Afinal cada uma com o seu uma vez que as Kokinhas afinal usam lilica ;)

Monday, May 21, 2007

CAMPEONATO HÓQUEI EM PATINS

Mais um jogo!
Empataram 2x2!
Continua a haver pais e mães muito “ferrenhos”, mães todas chiques mas que deixam a compostura de lado e gritam pelas suas crias: “Vai! Olha ali! Força! Remata!”.
A mim este “calor” todo continua a passar-me ao lado.
Não sou assim. Talvez porque ele ainda não percebe muito bem o que lá anda a fazer.
Talvez porque ele “corre” em cima dos patins na direcção em que os outros vão, mas que às vezes se esquece e fica a brincar com o stick...
O árbitro diz que mesmo assim ele é uma boa suspresa, seja lá isso o que for.
Continua a fazer-me muita confusão a violência do hóquei, quando vão todos à bola (esta falta de termos técnicos...) e quando além de estarem muitos jogadores juntos também estão muitos sticks juntos.
Continua a fazer-me confusão quando caem e se magoam no próprio stick ou no stick do outro que cai com eles...
Empataram 2:2

CONSULTA 2 ANOS


A conclusão é que está boa e recomenda-se e só a quer lá daqui a um ano.
Muita birra, muita fita numa sala de espera cheia de crianças como nunca vi nestes 5 anos que frequento aquele consultório. Uma amorinha que detesta lá ir, que é solidária com todos os meninos que choram e chora com eles.
Que trepa por mim acima quando é para a pesar na balança e que lá se conseguiu vislumbrar uns 12.5 kg. A altura foi bem mais complicado com ela a entortar-se toda e a não querer encostar-se à parede, mas lá ficou registado 84 cm, mas isso também não interessa muito.
É saudável, está tudo bem, o peso acima da média a altura na média.
Uma força impressionante quando a deito na marquesa e ela se levanta mesmo comigo a segurar-lhe os joelhos. Chora sempre, grita e soluça.
E olha-me como se eu fosse muito má por deixar que lhe mexam...
Acabado o exame de olhos, garganta, dentes, ouvidos, barriga, auscultar e tudo o mais fica enroscada no meu colo enquanto falo com o pediatra.
Saímos do consultório, mal fecho a porta ele diz “Xugus” (o pediatra dá sempre sugus aos meninos no fim da consulta – e foi assim que os meus aprenderam a comer sugus...)
Bato à porta e o pediatra dá-lhe um sugu roxo, o seu favorito e vamos contentes ter com o mano aos patins.

Friday, May 18, 2007

2 ANOS II

Dos meus planos de “mulher grande” sempre fez parte ser mãe.
Casamento não fazia parte e só fez já depois do boneco nascer.
Desses planos de “mulher grande” fazia parte um menino lindo, claro que seria o mais lindo e bem comportado de todos, e um menino da mamã. Tive o que sonhei.
Quando esse menino estava com pouco mais de dois anos comecei a ver que gostava muito de outras crianças, que era um menino tímido mas muito meigo, principalmente com os mais pequenos.
Eu estava a adorar ser mãe, todos os dias uma nova descoberta, uma nova conquista, um sorriso de vitória que me aquecia a alma e me iluminava o olhar com um brilho intenso.
Dos meus planos de menina apenas o filho único fazia parte.
O marido queria dois, sempre quis, mas não insistiu comigo nunca.
Comecei a olhar para o meu menino e a pensar que eu gosto de ter irmãos, mesmo não tendo crescido com eles. É uma relação especial e se crescerem juntos decerto que ainda seria mais especial.
Um dia à noite perguntei ao papá o que ele achava de dar um mano ao nosso boneco. O papá apenas sorriu. Foi “dito e feito”.
Mas eu queria um menino porque achava que a cumplicidade seria maior, porque me via mãe de um menino e não de uma menina.
Porque sempre fui “maria-rapaz”.
Ao mesmo tempo a minha avó queria uma bisneta pois tinha (e tem) imensos bisnetos e não tinha nenhuma bisneta...
Quando dissemos ao mano que a mamã “tinha um bebé na barriga” e lhe perguntamos se queria um mano para brincar com ele, ele respondeu “uma mana”.
Eu nunca acreditei muito que seria mãe de uma menina, mas fui-me habituando à ideia.
Há dois anos que esta menina viva, alegre, simpática, curiosa, esperta e bonita me preenche mais os dias e nos torna a todos mais alegres e felizes. Uma menina que tem uma alegria contagiante, que está sempre bem disposta a cantar e a dançar e que nunca se cansa e provoca o mano. Esta menina que é “maria-rapaz” e brinca com bolas e carrinhos (os seus favoritos!) e que tem medo dos bonecos que abrem e fecham os olhos (e que digamos a verdade são um pouco mórbidos), esta menina que destrói os brinquedos do mano e a quem o mano dá tudo, está a crescer cada vez mais e é ao mesmo tempo uma “princesa” que gosta de roupas bonitas e ganchinhos no cabelo e que o seu sorriso fica ainda maior e os olhos mais brilhantes quando lhe digo que é linda!
É esta menina que eu adoro e agora já não me via mãe de dois rapazes...
Parabéns meu amor, que sejas sempre assim feliz!
Amo-te muito!

DIA DE ANOS DA AMORINHA

(os mais sensíveis que “saltem” este post)

16.05 23:00:
O mano acorda a chorar, vomitado da cabeça aos pés. O pai meteu-o na banheira, sempre a chorar enquanto eu mudava a cama toda e arranjava outro pijama para ele vestir. Tento dar-lhe Pocari (tipo Isostar, bebida para atletas) para beber, mas está gelada e ele recusa beber, sempre a choramingar.
E eu espero que seja só uma má disposição, afinal no dia seguinte são os anos da mana...

17.05

01:00: Vomita mais um pouco. Limpo-o com toalhetes. Ele choraminga. Lençóis lavados. Pijama lavado. Beber Pocari, agora menos fria.

02:00 Igual ao anterior, mas começo a ver o caso mal parado. O papá fica a dormir no quarto dele.

05:00 Mal disposto, diz que tem fome e quer leitinho. Tenho medo que vomite... Bebe Pocari, leitinho e dorme. Não vomita.
A mana acorda e bebe leitinho. Volta a dormir.

06:00 Eu acordo sobressaltada porque o “ouvi” chamar. Entro a correr no quarto dele e está a dormir, assim como o papá. De volta ao meu quarto também a mana está a dormir. Devo ter sonhado.

07:30 Acordo tarde. Vou acordá-lo. Está cansado. Casa de banho. Pocari. Leitinho. E eu à espera dele vomitar. Meio biberão, não vomita mas está rabugento. Choraminga que não quer ir para a escola. Acordo a mana, que não quer leitinho. Despacho todos.

08:15 Finalmente saímos, estamos atrasados

08:30: O boneco não fica na escola. A professora diz que a política da escola é que se estão assim não ficam. Boneco chora e o papá vem com ele. A empregada não tem o telefone ligado.

08:45 Deixo a mana na creche. Decido ir ao hospital com o boneco.

9:00 Estamos no hospital. Uma criança à nossa frente. É preciso usar máscara. O boneco vomita. Tiro a máscara o mais rápido possível e levo-o para a casa de banho, dos homens que a das senhoras está ocupada. Suja o uniforme. Choraminga. Limpo-o. Chamo a segurança para chamar alguém para limpar. Arranjo um saco para ele vomitar se voltar a acontecer.

09:20 Chamam-no. O médico não sabe o que é “vomitting”. Faço o gesto e o som. De resposta um “Ah!” Começa a escrever. Vai fazendo perguntas. “Running nose?”, “Cof?”, “Diahrea?”. Vou respondendo. Deitar na marquesa. Observa, apalpa a barriga, ausculta. Pergunta ao boneco: “Pain?”. O boneco vai abanando a cabeça com sim e não. Escreve.
Imprime a receita. Dá-me a receita e explica mais ou menos. Peço um papel para a escola e outro para o meu trabalho: 1 dia.

09:35 O papá a telefonar, estamos na rua. Passo na farmácia e vamos para casa.

09:50 Estamos em casa. Boneco toma medicamento para não vomitar. Vai bebendo Pocari.

10:30 Chega a empregada. Mudou de telefone e não tinha avisado! Fico furiosa.

11: 00 Aqueço uma canja. Come um pouco.

11:25 Vou a Macau. Passo no trabalho a entregar o atestado médico. Vou trocar um vestido da amorinha. Encontro a mamã de uma colega do boneco.

13:15 Vou buscar o bolo da amorinha. O papá apanha-me.

13:30 Deixamos bolo, prendinhas e sumos na creche. Vou ao supermercado comprar Pocari e volto para casa.

14:40 Almoço uma salada. O boneco já tinha voltado a comer canja. Não vomitou mais.

15:45 Vou buscar a mana à creche. O boneco quer ir comigo. Levo-º

16:30 Apanhamos a mana. O boneco quer ir ao jardim. Vamos ao jardim.

17:10 Boneco quer ir para casa. Vamos embora. A amorinha está feliz por ter ido ao jardim com o mano.

17:30 Estamos perto do trabalho do papá. Subimos.

17:45 Vamos para casa.

19:00 Amorinha e boneco jantam canja. O boneco não acaba a canja e a amorinha apodera-se de prato dele com tanto gosto que não tive coragem de tirar, além disso o boneco já não vomitava há muito tempo.

20:00 Jantamos todos. Boneco come arroz de cenoura e um pouco de peixe. Amorinha só come um pouco de peixe. O avô ª e a avó D. telefonam para cantar os parabéns. Quando dizem que tem 2 anos a resposta é invariavelmente a mesma: “NÃO!”

21:00 Estou a pô-los na cama. Cansada!

Wednesday, May 16, 2007

COSTUMES



A amorinha anda na mesma creche onde andou o mano.
Naquela creche há um costume engraçado.
Quem faz anos leva o bolo e prendinhas para todos.
As prendinhas são tipo aqueles saquinhos de lembranças que se costumam dar no fim das festas de anos em Portugal.
Muitas pessoas oferecem “porcarias” como algas secas, pacotinhos de leite de soja, chocolates, bolachas de arroz, e coisas do género.
Tinha pensado oferecer uma bola pequena a cada um dos colegas da amorinha, mas mudámos de ideias e no fim de semana comprámos 22 bonecos de peluche, a 10 patacas cada um (menos de um euro) e ontem estivemos a embrulhá-los.
O bolo está encomendado a esta artista e vamos buscá-lo amanhã à hora de almoço e levar para a creche.
A festinha será à tarde com a educadora e as coleguinhas.
A mamã e o papá não estarão presentes, faremos a festinha de família no sábado.
Esta manhã dizia-lhe “Amanhã a amorinha faz dois anos e vamos cantar happy birthday e san yat fai lock e soprar velinhas” e ela respondia-me “Não!”
Como o tempo passa...

Tuesday, May 15, 2007

EU

Eu quero: estar sempre presente na vida dos meus filhos
Eu tenho: muito medo de lhes acontecer alguma coisa
Eu acho: que os meus filhos são lindos
Eu odeio: burocracia, hipocrisia e cinismo
Eu sinto saudades: do céu azul de Portugal e da minha avó
Eu escuto: toda a gente
Eu cheiro: os meus filhos para guardar na memória
Eu imploro: para que haja paz no mundo e que as crianças sejam felizes
Eu procuro: ser feliz
Eu me pergunto: para quê tanta violência
Eu me arrependo: de não ter tido filhos mais cedo
Eu amo: os meus filhos
Eu sinto dor: quando eles estão doentes
Eu sinto falta: de espaço (Macau tem 26 km2) e da minha avó
Eu me importo: com a saúde deles
Eu sempre: digo aos meus filhos que os amo
Eu não fico: de braços cruzados
Eu acredito: no amanhã e numa vida melhor, sempre!
Eu danço: com a minha filha
Eu canto: com a minha filha
Eu choro: muito pouco
Eu falho: como mãe, porque grito muito e perco a paciência
Eu luto: para dar uma vida boa aos meus filhos e para ser feliz
Eu escrevo: com o coração, o que me vai na alma
Eu ganho: experiência com os erros cometidos
Eu perco: a paciência muito facilmente
Eu nunca: digo nunca
Eu me confundo: com os nomes dos meus filhos e chamo-os pelo nome do outro
Eu estou: a precisar de dormir e de férias
Eu sou: Mãe
Eu fico feliz quando: meus filhos estão felizes
Eu tenho esperança: de que a minha avó viva muitos mais anos feliz
Eu preciso: de mimos dos meus filhos
Eu deveria: ter mais paciência e gritar menos

Eu desafio:
Sandra (Filhos e Companhia)
Família no Chipre

Miduxe
Tataruga
Fazedores de Mundos
E a todas que quiserem fazer...

Monday, May 14, 2007

PRIMEIRO JOGO


Imagem do Jornal Tribuna do campeonato "dos grandes"


Brancos x Vermelhos: 5-3
Perdeu.
Mas divertiu-se imenso e isso é o mais importante para mim.

Para quem nunca tinha jogado (e não se pode dizer propriamente que jogou) pelo menos deu para correr de um lado para o outro enquanto se tentava equilibrar com o stick, stick que atingiu alturas pouco recomendadas no hóquei quando ele se tentava equilibrar.
Pensei que ele fosse suplente todo o jogo, mas todos os elementos da equipa jogaram, foram rodando, e eu não sabia que se fazia ou que se podia fazer no hóquei.

Acho que a única vez que tocou na bola foi numa falta marcada em que foi ele que “stickou” a bola (acho que tenho de começar a aprender umas coisas de hóquei...)

Descobri que as mãezinhas e paizinhos das outras criaturas que por lá andam se transfiguram no decorrer do jogo e as emoções ficam ao rubro com cada um a torcer para seu lado e a gritar pela sua criança.

Há paizinhos e/ou mãezinhas que se saíam com pérolas como “não passes para ele que ele não joga nada” e esquecem-se que aquilo é uma brincadeira acima de tudo e que os filhos delas também não sabiam e também tiveram de aprender.

Quase não vi o jogo porque a mana decidiu que queria ir à casa de banho e fizemos umas quantas viagens até lá, antes de ela conseguir fazer xixi na sanita do balneário, um grande feito! Mas o papá gravou para mais tarde recordar!

Friday, May 11, 2007

CAMPEONATO

Quando o boneco foi para o hóquei em patins foi apenas para aprender a andar de patins.
Nunca pensei em torná-lo num jogador de hóquei em patins, até porque ele inicialmente me dizia que não gostava do “pau”.

Curiosamente, no dia em que ele me disse isso deu-se início ao treino com stick.
Puseram-lhe um stick na mão e ele tanto joga (?) com a mão esquerda como com a mão direita (isto em termos técnicos provavelmente não se diz assim, mas eu também não sei como se diz...), embora me pareça que não joga grande coisa.

Esteve na baliza e para guarda redes a equipa adversária deve gostar muito dele, esquece-se do que está lá a fazer e nem se mexe para desviar a bola. Com sorte pode ser que ele esteja no caminho da bola e ela assim não entre. ;)

Para ele é uma alegria ir aos treinos todos os sábados e vai dormir a sesta sem refilar. Ele, que só dorme a sesta aos sábados porque se levanta cedo, mais ainda que nos dias de semana que o fim de semana é curto e tem de o aproveitar para brincar!

O gosto pelo hóquei é tanto que quando ele se porta mal costumo dizer-lhe que não vai ao hóquei e funciona lindamente! Muda de comportamento imediatamente!

A mana é a maior fã do mano!
Inicialmente, dado os treinos serem muito tarde e ela ser pequenina não íamos aos treinos.
Com os dias mais compridos e menos frios começámos a ir.
O mano adora ter a nossa presença e a mana farta-se de gritar por ele.

Nos primeiros tempos ela portava-se bastante mal, aliás, era mais curiosidade que outra coisa, pois andava por todo o pavilhão a explorar. Agora fica sentada nas escadas enquanto calço os patins ao mano com todas as voltas e reviravoltas que os atacadores têm de dar. E todos admiram a menina bem comportada que tenho!

Quando o mano está no ringue a treinar ela chama por ele e quando ele se põe a fazer habilidades ela diz “Mano, cais, cais”.
Foram-lhe prometidos uns patins, ela que mal chegava ao pavilhão tirava os sapatos, tal como o mano o faz.
Não vou pô-la no hóquei, mas quando os patins lhe servirem vamos brincar em cima deles, aposto que ela vai adorar! Vai-se sentir “grande” a seguir o exemplo do mano.

E isto tudo para dizer que amanhã começa o campeonato de hóquei em patins de Macau para “os grandes” e haverá uma espécie de campeonato paralelo para os pequeninos. Será o primeiro jogo a sério do boneco. Um campeonato que tem a particularidade de todas as equipas terem de ter um elemento feminino permanentemente em campo.

Vai ser divertido assistir ao primeiro jogo do boneco, isto se ele jogar!

Thursday, May 10, 2007

CAIU O PRIMEIRO DENTE DE LEITE!!!!

Já dorme pacificamente há quase uma hora um menino lindo, lindo que está a crescer e a quem já caiu o seu primeiro dente de leite!
Foi o papá que por volta das oito da noite estava a "inspeccionar" o dente, puxou e o dente soltou-se, para espanto do boneco que nem quer ver o dente e agora acha imensa piada dizer "sopinha de massas" porque assobia o ar a passar no espaço deixado pelo dente!
A fada dos dentes não vai passar por cá, mas no fim de semana pode ir ao Toys'R'Us escolher um brinquedo baratinho.

Mónica dos bés: não consigo entrar no teu blog. Bjs

Wednesday, May 09, 2007

Dente

Havia um dente que ainda há, mas que está preso por um fio.
O seu primeiro dente a cair que lhe faz aflição, ao ponto de ontem me telefonar para o trabalho a dizer que o dente estava a fazer dói dói.
Vai ficar desdentadito o meu boneco.
Estás a ficar crescido, meu amor.

Tuesday, May 08, 2007

EPA!

Quem começa a ler este post acha que estou a fazer publicidade a um determinado gelado de uma marca muito conhecida em Portugal. Desenganem-se. Não estão nem perto daquilo de que vou falar aliás, poderei até dizer que estão com o pensamento exactamente oposto.

Quando o boneco começou a aprender a usar a sanita, a palavra epa passou a fazer parte do vocabulário lá de casa...

Vi, algumas vezes situações que deixavam os pais bastante embaraçados porque os filhos começavam a gritar em lugares públicos que queriam cocó. Esta era uma situação que me fazia certa confusão e já me tinha imaginado várias vezes na pele desses pais.
Acho que hoje em dia, depois de ser mãe de duas crianças isso já não me incómoda tanto, mas antes fazia-me confusão. De tal modo que tentei ensinar ao meu filho que quando queria ou tinha cocó (que post mal cheiroso...) na fralda devia dizer que estava sujo, enquanto o xixi continuava a ser xixi.

Digamos que nunca “pegou” muito... mas ele também nunca pediu cocó. Inicialmente era tudo xixi, mas às vezes dava-me jeito saber o que era e andava a tentar resolver a situação de o ensinar a dizer que estava sujo.

Um belo dia, quando ele estava bem “perfumado”, fomos mudar-lhe a fralda, eu e o papá.
Ao abrir a fralda a quantidade era tanta que o papá exclamou bem alto “EPA!” e o boneco achou imensa piada. Ria-se e repetia “Epa”!

A partir daqui ele começou a associar que fralda suja era “Epa”, só que era a mesma situação de antes, se a fralda suja era “Epa” eu nunca sabia quando era xixi ou quando era algo mais.
Um belo dia ele apercebeu-se das nossas brincadeiras quando o “Epa” era mais mal cheiroso e faziamos caretas e começou um novo nome para cada coisa. O xixi passou a ser “Epa sanita” e o cocó passou para “Epa cheiroso”.
E assim se pouparam muitas situações embaraçosas, agora mais para quem está presente do que para nós que já temos outro “treino”.


Monday, May 07, 2007

XIXI…BENHO

É assim que andamos lá em casa.
Começou aos pouquinhos.
Primeiro na creche, talvez há um mês mas lá em casa fui adiando, reconheço que um pouco por preguiça minha, porque nunca dá jeito, porque o famoso tempo não chega, porque vamos sair, porque estou ocupada e com fraldas é muito mais limpo...enfim, há sempre uma desculpa.

Agora que o tempo parece ter melhorado, no dia 29 de Abril demos início oficial aos treinos para deixar as fraldas em casa também. Porquê esse dia? Porque algum tinha de ser e nesse dia eu levantei-me decidida a “deitar mãos à obra”.
Vesti-lhe uma cuecas todas bonitas do Pooh e ela estava toda orgulhosa, depois comecei com a lenga lenga “xixi casa de banho, não faz xixi nas cuecas, suja as cuecas, depois não há” ela repetia partes do “discurso”...

A experiência não correu muito bem com um pouco de xixi pelas pernas abaixo, corrida para a casa de banho, sentar na sanita alguns minutos e ela a dizer que não tinha, tirá-la da sanita e uns minutos depois mais um pouco de xixi pelas pernas abaixo e a correria e a repetição de tudo durante mais umas duas vezes até que fazia o xixi todo e o ficar aflita e a choramingar quando começou a perceber que estas cuecas não ficavam com o xixi como a fralda.

Depois, ainda no mesmo dia tivemos direito a um presente mais cheiroso (pfuuu!) na sanita!
Pediu “xixi...benho” e lá fui com ela e ficou sentada na sanita com o redutor durante muito tempo comigo sentada num banquinho junto dela e a ver um livro e lá fomos ficando. Quando começou a fazer deve-lhe ter feito confusão, porque olhou para mim aflita e quando lhe disse “não faz mal”, lá se descontraiu e ouviu-se algo a cair.
Fiz um grande sorriso (realmente as mães ficam contente com cada coisa!) e disse que ela era muito, muito linda e dei-lhe muitos beijinhos e abraços e ela toda contente.

Deixei-a na sanita mais uns minutos para ir ao meu quarto (mesmo ao lado da casa de banho) buscar outras cuecas e quando ia entrar na casa de banho ouvi o barulho de xixi, mas não entrei porque ouvi que ela estava a tentar controlar-se para não fazer, pois o som parava e achei que se entrasse ela não ia fazer mais. Deve ser algo estranho para ela, o sentir-se molhada.
Quando entrei voltei a dizer-lhe que era muito linda e a dar-lhe muitos beijinhos.
Nesse dia ainda tvemos direito a mais uns xixis elas pernas abaixo e a mais um pfuu na sanita!

Desde aí, que todos os dias, quando chega da creche anda lá em casa de cuecas. Se a for lembrando ela pede para ir, mas se estiver entretida a brincar não se lembra de pedir. A maioria dos incidentes agora acontecem quando eu estou ocupada e não lhe pergunto de 5 em 5 minutos se precisa de xixi ou quando vou com ela, mas não insisto para que fique lá sentada porque estou a cozinhar, por exemplo.

Ela vai repetindo “Xixi... benho, cueca... xuxa” e as coisas até estão a correr melhor do que eu estava à espera que do mano houve muito xixi e “pfuu” nas cuecas e no chão.

A parte má é que ela agora não quer usar fraldas e para ir à rua ainda tem de as usar, tal como para dormir e é uma luta para lhe por as fraldas, com ela a contorcer-se toda e a tentar fugir, parece uma enguia escorregadia!

Já lhe pus aquelas fraldas-cueca, mas como ela não é parva e tem imenso calor com as fraldas e fraldas-cueca, não gosta e também faz a mesma fita para as vestir.

Só espero que esta saga acabe depressa!


Ah, e usamos sanita com redutor porque ela, tal como o mano também usa(ra)m sanita pequenina na creche e em casa não querem bacio.


Friday, May 04, 2007

INTERLÚDIO MUSICAL




O lalão o Xuão (o balão do João)
Obe obe eu o á (Sobe, sobe pelo ar)
Á éiz a eiz (Está feliz, o petiz)
A lalalalolá (A cantarolar)
Ento xupá (Mas o vento a soprar)
Lalão ar (Leva o balão pelo ar)
Quica cão, o Xuão (Fica então, o João)
A cholamingá (A choramingar)






Bom fim de semana!




E feliz dia da mãe, em Portugal a 6 de Maio, em Macau a 13 de Maio.

Thursday, May 03, 2007

Amor da mamã

Amor da mamã
A mamã não é perfeita, muito pelo contrário.
Tem defeitos (muitos) e também muita falta de paciência, principalmente quando está cansada e quem acaba por aturar a mamã são vocês, especialmente tu.
O facto de seres um dos meninos mais lindos e bem comportados que conheço faz com que exija mais e mais de ti, cada vez mais, e muitas vezes esqueço-me dos teus 4 aninhos de inocência.

Com o nascimento da mana foste como que obrigado a crescer e, como sempre compreendeste o que te dizia, acedias quando te pedia para não fazeres barulho para a mana dormir que depois eu ficava contigo, acedias em ceder o brinquedo que tinhas na mão porque a adoras e não queres que ela chore, deixas que ela abra a porta quando tinhas de ser sempre tu a fazê-lo... e tantas, tantas coisas que agora não me lembro mas que fazem com que te adore muito.

Mas não fazem com que deixe de exigir que te vistas sozinho de manhã porque tenho de vestir a mana, que laves os dentes sozinhos, que te calces, que comas sozinho (e tu és tão preguiçoso a comer...) e tu muitas vezes o fazes, mas há outros dias em que também queres miminho, também és o meu bebé.

E a mamã, sempre com falta de tempo, de tal modo o digo que tu já me perguntas se tenho tempo... E eu não gosto de teres de me perguntar se tenho tempo porque para ti e para a mana eu devia ter sempre tempo, SEMPRE, meu amor.

A falta de tempo de manhã e ao final do dia...
Vendo bem é o único tempo que passo contigo e com a mana e ainda vos ralho
Tenho de mudar, sei que é o meu ponto fraco, mas fico facilmente irritada se vejo o tempo (sempre ele!) a passar e não estás despachado.
De manhã é o stress para ir para a escola, à noite para ir dormir...
E depois grito para que te despaches e implico porque calças as meias tortas e devia era ficar contente porque o fizeste...

A mamã tem estado a mudar, tens ensinado muitas coisas à mamã, ensinaste-me a ser mamã, a tua mamã, a que aos teus olhos é a mais bonita e que tu dizes que amas muito, mais e mais e a quem dás beijinhos sem ninguém pedir e pedes para fazer cócegas e tantas coisas boas.

A mamã que costuma acalmar o ambiente quando o papá se irrita contigo e tu vens procurar refúgio nos meus braços, mas não te refugias no papá quando a mamã se zanga contigo, ficas apenas a chorar. Pequenas diferenças que fazem com que essas lágrimas doam muito à mamã depois.

Estás crescido, estás lindo, estás refilão e teimoso (e tens a quem sair, igual à mamã...) e a mamã está a deixar de ter um bebé em casa para ter um menino e só precisa de um pouco mais de tempo para tentar encontrar mais paciência para gritar menos...
Amo-te muito!

Wednesday, May 02, 2007

Uma mana como esta...


Hoje o blogger bloqueou-me o acesso todo o dia, mas eu tinha de vir contar esta "cena" engraçada.


O boneco encontrou um amiguinho, ex-coleguinha de escola no restaurante e estiveram a brincar.

A mana adorou este coleguinha do mano e deve ter achado que era mais colega dela que dele, afinal ela chega-lhe ao ombro que o menino tem 4 anos feitos em Dezembro mas é um pouco baixinho.

Ela ria-se à gargalhada com ele, abraçava-o, metia-se com ele quando ele não lhe ligava..., enfim, uma festa!

Ao fim de algum tempo este menino volta-se para mim e diz: "Quero uma mana igual a esta!"

Claro que todos nos rimos imenso quando passei o recado à mãe.


(ele tem uma mana com sete anos e MEIO - foi ela que frisou o meio)