Thursday, February 15, 2007

MÃES QUE TRABALHAM

Em Dezembro do ano passado fui a um concerto aqui em Macau, o dos Madredeus.
Encontrei lá a mãe de uma colega de escola do meu filho e estivemos a conversar no intervalo.

Um dos temas que surgiu em conversa foi, como não podia deixar de ser, os filhos.
E ela muito feliz dava-me os parabéns porque o meu boneco recebeu uma “star” (estrela) e um “award” (certificado) por ser um bom ajudante, ele e a C., outra menina portuguesa. E ela continuava a falar que eu devia estar muito orgulhosa e tal e tal, até que a interrompi e lhe disse que não percebia muito bem do que ela estava a falar.

A única coisa que me lembrava era dele, há duas semanas atrás ter aparecido lá em casa com um certificado por ser um bom “ajudante” (whatever that means) e eu dei-lhe os parabéns e um beijinho, tal como o faço quando ele faz um desenho que trás para casa ou quando faz colagens com caixas de ovos e copos de iogurtes que para mim são lixo, mas que ele me mostra orgulhoso e me explica que é um barco ou uns binóculos ou qualquer outra coisa do género e eu lhe digo que são lindas e agradeço por me oferecer, porque ele diz sempre “fiz para ti” e esta frase vale ouro!

Ela explicou-me que ele e a C. ajudavam a professora a arrumar as coisas na sala de aula e por isso na reunião mensal que há e a que os pais podem assistir, mas que esta mãe aqui tem de trabalhar e antes ainda passa na creche a deixar a filha não assiste (porque são às 8:45 e eu entro às 9:00), ele foi chamado ao palco (junto com a C.) para receber a estrela e estava todo orgulhoso. E eu descubro assim as coisas sobre o meu filho. Gostava tanto de ter assistido, sei que ele ficaria muito mais feliz porque às vezes me diz que estavam lá as mães deste ou daquele amiguinho...

A mãe desta colega ainda me contou que num outro dia foi lá à escola e estavam todos a aprender a escrever a letra “J” maiúscula e minúscula e que a do meu boneco estava “perfect!”. E eu babada, mas sem ter visto porque fica na escola e eu só lá vou de manhã a correr “largá-lo...”

Hoje foi mais uma actuação alusiva ao ano novo lunar que se aproxima, actuação em mandarim a que a mãe da colega do meu filho assistiu e eu não porque se realizou das 9:00 às 10:00... Ela telefnou a dizer que foi muito giro e que alguém filmou com o telemóvel e depois vai enviar por email.

E eu? Eu fico aqui cheia d pena de não ter visto, de não ter estado lá porque sei como seria importante para ele que nos procura sempre com o olhar quando sabe que lá estamos. Ele a quem já tinha explicado que para podermos ir muitos dias a Portugal a mamã não pode ir assistir porque precisa trabalhar... Ele que concorda, mas sei que fica triste e depois vê lá as mães de alguns dos outros colegas, mães que não trabalham e que estão sempre presentes.

Gostava tanto de poder estar lá para o meu boneco!
Gostava tanto de ter um horário flexível...

33 comments:

kuka said...

Não se pode ter tudo! Mas devias equacionar a hipótese de abdicares de uns diazitos em Portugal.

mãe tataruga said...

Adorei a frase "fiz para ti".Eu giuardo carinhosamente as prendinhas todas que o Kiko me tras.
Tambem eu gostava amuito de ter um horario mais flexivel mas de vez em qaundo lá dou uma escapadelazinha à Creche. Amanhã vou tentar ir tomar um cafezinho por volta das dez e meia p fotografar o desfile de carnaval.
Beijinhos

Sandra said...

Percebo, minha linda...

Eu não tenho um horário fléxivel, é 9h-18h, mas a minha chefia é fléxivel e quando tenho este tipo de catividades lá no colégio, basta-me explicar e pedir para sair...Também é verdade que às vezes tento compatibilizar vacinas e consultas de rotina para estes dias e assim acabo por ter justificação.

Percebo que queiras ter o máximo de dias para vires a Portugal estares com os teus, não é por isso que deixas de ser uma mãe
presente, não te martirizes!

O teu boneco é feliz e isso também se traduz nas suas capacidades fantásticas, que tu descreves com imenso orgulho e que eu tanto gosto de ler!


Beijinho

Sandra said...

...eu e os assentos: flexível!... :P

Gabriela said...

Pois é! O que se perde quando temos que trabalhar! Mas a verdade é que todo o esforço que fazemos é para eles e por eles, por isso estamos a contribuir para futuro deles.
Tenho a certeza que o teu menino entende, se não já tinha "exigido" a tua presença em dados momentos... o Daniel parece-me um menino muito atento e responsável.
Dás-lhe atenção quando ele te retribui com o resultado do seu trabalho e ele já se sente feliz com isso.
Beijocas
Gabriela

Piquinota said...

Pois!
O meu pai estava quase sempre afastado das actividades escolares... e isso custava-me muito. Mas quando cresci, percebi porquê!:)


Jinhos

Anonymous said...

maria-joão disse...
Até parece que escreveste sobre a minha vida, mudando apenas os nomes e pequenos pormenores.


maria-joão
rosinhaeazulinho.blogspot.com

NaRiZiNHo said...

Por momentos vi-me no lugar do boneco.
Há alturas que me sinto assim, mas a vida por vezes é cruel.
Ele compreende e orgulha-se de ti.
:-*

Marita said...

Tens um filho de ouro, apesar dele ter pena por não assistires às actividades, ele compreende que a mãe não pode estar porque tem que trabalhar!
Tenta saber no trabalho o tempo a que tens direito para as actividades dos teus filhos.

beijinhos

YAMI said...

Pois linda..
Eu adorava estar sempre a cuidar das minha smeninas :)))))

Quando vieres cá apita!!:)

Um grande beijo

yami

Cool Mum said...

Não é nada fácil, e eu até falo de barriga cheia pois não me posso queixar. Mas tenho uma reunião fora que apanha todos os anos o dia da Mãe, nunca estou para receber os presentinhos que fazem na escola e fico toda roída.
Kiss

sandra said...

ehhhh..e não podes inventar assim uma históriazinha e chegar atrasada? Uma vez..dizes sei lá que te taparam a saída do carro, ou que..o despertador não tocou, faltou gás água,luz, sei lá..

lol
bjs
Sandra (Tiago e diogo)

Margarida Atheling said...

A vida é mesmo assim, não podemos ter tudo. Mas de certeza que o teu filho sabe bem o quanto gostas dele e perecebe que não podes ir, que se não vais não é por desinteresse. É isso que conta.

Bjs

Tiquinha said...

é muito complicado não é?? Acho que uma mãe devia ter um clone para ir trabalhar no lugar dela, em certas alturas....
beijocas
tica

keridalindinha said...

Olá, obrigada por estares sempre presente no meu cantinho!
Compreendo bem o que escreveste, houve um momento da minha vida em que passei pelo mesmo, eu ia dançar e os meus pais trabalhavam não podiam assistir, e eu ficava assim tristinha:(, mas para me compensarem fizeram algo que nunca esqueço: no dia do meu aniversário, isto quando fiz 16 anos, fizeram- me uma festa surpresa que quando entrei no restaurante cantaram-me os parabéns ao som do piano e violino!
E os meus papás lá estavam, 300% disponiveis só para mim...
beijinhos gigantes.

Zaida Afonso said...

Olá Sandra
Primeiro que tudo, obrigada pela visita ao meu cantinho.
Não sou do Montijo, sou de perto Alhos vedros (Moita), conheces?
Reparei que vives em Macau, é uma viagem que penso fazer porque sempre tive curiosidade de conhecer essa terra meio nossa meio Chinesa, e dpois porque acho que deve ser muito bonita.
Um grande beijinho aqui de terras lusas e fica a promessa de voltar ao teu cantinho

Mamã trintona said...

A minha mãe também nunca pôde estar presente em nada que fosse importante para mim. Só me foi levar à escola no 1º. dia de aulas (tinha eu 6 anos) e no 1º. dia do antigo 1º. ano do ciclo porque, como morávamos perto de Sines, era lá que eu ía estudar. Também estive 2 anos numa banda local e, nesses 2 anos, ela só pôde acompanhar numa única saída. Ficava triste pro não ter uma mãe como as minhas amigas, mas agora compreendo que vida de mãe é dura. Para podermos dar o melhor aos nosso filhos, não podemos estar presentes em momentos importantes da vida deles.
Joquinhas
Sofia

Luz de Estrelas said...

Ele sabe que tu estás presente no que é mais importante. No amor, na luta, na saúde. no miminho.

anita said...

Olá Sandra:
Compreendo perfeitamete o que sentes, tantas vezes que eu tenho esse sentimento, que gostaria de poder acompanhar mais a minha menina, mas não vivemos sem dinheiro, e o trabalho traz esse bem necessario.

De qualquer maneira, o mais importante é a qualidade de tempo que passamos com eles, e não a quantidade.
É a nossa luta de ser mães trabalhadoras.

Beijinhos
Anita

SusanaMama said...

Percebo perfeitamente...Aqui por estes lados também se peca muito pelos horarios.

O bom é que ele contionua a mostrar-te e a contar...e não te esqueças mesmo...ela faz para ti!

BJs

O Príncipe Duarte said...

Ola

pelos vistos vou passar a ser leitora asidua do teu blog da culinaria e deste :)

tens uma menina da idade do meu filhote (o meu nasceu a 23/05/05)


quanto ao teu post, eu sei que é mto complicado acompanhar as reuniões, festas etc., mas tenho feito sempre por isso pois sei que são momentos especiais na vida deles, e na minha tb.

Mas tb sei que ha empregos que não permitem tal...


o que importa é que eles saibam que são amados!

bjs

alice+duarte

http://titicad.blogs.sapo.pt/

mamã gaivota said...

Pensar que podemos estar todos os momentos da vida dos nossos filhos junto deles é uma utopia. Nem tal seria desejável. Eles têm um caminho a fazer sozinhos.
(mas a nós, mães, este conceito é pura teoria, não é?)

Ana said...

Essas coisas sao tao importantes para eles, ainda me lembro que durante anos fiquei ressentida por os meus pais nao irem a teatros da escola e coisas assim....hoje claro compreendo porque nao o fizeram.
Como podemos dizer-lhes que nao fomos, nao porque nao nos interessa mas porque os compromissos profissionais nao deixam, eles nao compreendem isso!!

Bia said...

Passei para te deixar um beijinho

margarida said...

Coração de mãe sofre...
Tentamos estar em muitas coisas, mas é impossível estar em todas.
Dás o teu melhor e isso é o mais importante.

bjinhos

Gioconda said...

Pois é.... e assim vais perdendo alguns momentos importantes não é verdade?????
Mas ninguém disse que a vida era facil... ficam aqueles belos momentos em que ele chega a casa e diz que "fez para ti"....

Mamã P. said...

Mãe sofre, não é nada fácil. Cá tb são raros os horários flexiveis, mas felizmente as chefias costumam sê-lo. Mas já percebi que aí não é bem assim... Um grande beijinho!

As minhas melodias said...

Mas a escola tb não facilita a vida aos pais!! Bem que podiam fazer isso ao fim da tarde como nós.
Bjs

Mãe Frenética said...

Oh Sandra como eu te entendo... oh cmo eu te entendo...

mas eles tb nos entendem, e o q lhes fica na memoria é uma mae carinhosa q qdo esta, está mesmo.

Um beijo grande

Caterina said...

Oh, miga!
Infelizmente nem tudo é como desejamos. Tenta conciliar as coisas como puderes.
Jinhos

mae dos 2 pequenos said...

compreendo o que disseste..
Acjho que é uma das vantagens de viver numa cidade pequenina como Moura..
Beijos grandes

Costinhas said...

Mas temos de convir que esses horários a que fazem as reuniões e apresentações, também não ajudam ninguém.

Beijocas e não te martirizes tanto. Tu fizeste as tuas opções e deves sentir-te bem com elas.

Beijos

eu-sei-lá said...

Como eu te entendo , mesmo!
Beijocas
Ruth+Diogo