Monday, December 31, 2007

FELIZ ANO NOVO

Hoje é o ultimo dia do ano, dia em que muita gente faz balanços sobre o ano que passou e faz promessas para o novo ano que se aproxima a passos largos.
A possibilidade de realização dos sonhos torna-se mais real com o novo ano que se aproxima, dizem...

Acho que nunca fiz balanços nem promessas para o ano novo.

Quando era mais nova gostava de ir fazer a passagem de ano pela festa, embora não percebesse porque estava toda a gente tão feliz. Continuo a não perceber, cada vez me parece que o ano novo não é mais que a mudança de um ano para outro.

Devia gostar de celebrar passagens de ano, até porque em Macau temos direito a duas: hoje dia 31 de Dezembro e o ano novo chinês, cuja data é variável. E ainda há os que celebram a passagem de ano de 31 de Dezembro pela hora local e pela hora de Portugal (apesar das 8 horas de diferença).

Em jeito de balanço posso dizer que este ano foi um ano complicado, em que as férias não foram férias, em que o filho esteve muitas vezes doente, em que descobri a hérnia da filha e em que a minha avó nos deixou.

Tudo o que desejo do novo ano, para mim e para os meus (familiares e amigos, incluindo os virtuais) é o que desejo todos os dias do ano: muita saúde acima de tudo, trabalho, amor, poucas discussões entre famílias e amigos e paz no mundo inteiro.

Assim, desejo a todos: Feliz Ano Novo!

Árvore de Natal no Largo do Senado, Macau

Wednesday, December 26, 2007

TSUNAMI-3 ANOS


Tenho estado um pouco calada.
Este mês é o mês de Natal e tenho-me lembrado muito do Natal do ano passado, celebrado em Portugal pela primeira vez desde que tinha deixado Portugal e com a minha avó. Foi um Natal feliz, apesar dos incidentes familiares que se dispensavam, mas foi bom e sei que ela estava feliz por passar o Natal comigo e com os meus filhotes, principalmente com a amorinha, a sua única bisnetA.
Este Natal trouxe-me a nostalgia do ano passado e nem me apeteceu deixar aqui no blog os votos de um feliz Natal a quem (ainda) me visita apesar de eu andar um pouco distante do meu e dos vossos blogs e por isso desculpem-me.

Este é também o mês em que o boneco partiu a cabeça, tal como referi no post anterior, numas férias na Tailândia que começaram mal e acabaram pior.
Hoje passam 3 anos sobre o Tsunami e eu sei que nunca o esquecerei, nem à sorte que tivemos.
Há muitas coisas que poderia dizer, muitas coisas que poderia escrever, mas ainda hoje fico como que hipnotizada quando me recordo e há imagens e sons que penso que nunca sairão da minha memória.
E tivemos tanta sorte... uma nova oportunidade de viver.
Deixo aqui assinalado este terceiro aniversário da passagem do tsunami e o desejo de que a dor se vá atenuando com o tempo para os que perderam tudo e por pouco não perderam também a vida.

Wednesday, December 19, 2007

Há 3 anos...

No dia 19 de Dezembro de 2004 fomos de férias para a Tailândia, como quase todos os anos no Natal, excepção para o ano passado (Portugal) e este ano (Macau).
Chegámos à tarde e estávamos tão cansados que comemos e fomos dormir um pouco.
Pelo menos foi o que planeámos, mas estávamos tão cansados que ninguém se levantou, nem o meu boneco!
Dormimos até ao dia seguinte e levantámo-nos cedo, muito cedo, talvez por volta das seis da manhã. Tomámos pequeno-almoço e fomos à praia.

O boneco sempre teve medo da praia, tanto que o seu primeiro banho de mar foi nestas férias em Outubro, na Tailândia.
Alugámos as cadeiras, mas com o boneco sempre a chorar a dizer que tinha medo do barulho das ondas.
Depressa desistimos da praia e voltámos para o hotel, para a piscina.

O papá e o filho foram para a água brincar enquanto eu fui por as toalhas nas cadeiras.
Ouvi o boneco chorar e pensei que se tinha magoado um pouco, mas quando olhei vi o papá com ele ao colo a chamar-me, larguei tudo e corri para eles.
Quando vi o boneco ia-me dando uma coisa má.
Tinha sangue a escorrer-lhe pela cara abaixo.
Fiquei gelada debaixo de um sol de 36 graus!

Caiu do escorrega (para crianças) que está na beira da piscina para escorregar para a piscina.
Subiu o escorrega normalmente e sem dificuldade, mas sentou-se muito atrás, portanto fora do escorrega e caiu para trás. O papá estava na água à espera dele descer e não pode fazer nada.

Ele chorava e pedia para a mamã dar beijinho para passar o dói dói (técnica que lhe ensinei e funciona na maioria das vezes mas daquela vez...)
Dei-lhe montes de beijinhos com tanta vontade de chorar (ou mais) que ele.
Ele parou de chorar e ali ficou ao colo do papá enquanto tentávamos apanhar táxi para ir ao hospital.

Fomos ao hospital de Patong e mal chegámos mandaram-nos logo entrar e deitá-lo numa cama.
Ficámos sempre com ele.
Primeiro veio uma enfermeira vê-lo e depois o médico observou-o.
O médico, tal como eu, estava preocupado porque ele tinha caído de costas e podia ter-se magoado em qualquer outro sítio não visível, embora o boneco dissesse que só tinha dói dói na cabeça.

A enfermeira amarrou o boneco com os braços esticados ao longo do corpo, de modo a não se mexer com umas faixas tipo colete de forças a uma coisa parecida com uma tábua, e deu-lhe anestesia directamente na ferida. O boneco choramingou um pouco mas eu estive sempre a falar com ele para o acalmar. É que além de estar todo amarrado, também tinha um pano a tapar-lhe a cara, pelo que não via nada do que se estava a passar.

Ele estava cheio de medo, mas portou-se tão lindo que me orgulho dele. Claro que na altura nem reparei se ele se estava a portar bem ou mal, só queria que tratassem dele.

A enfermeira limpou a ferida e, o que ainda hoje me impressiona foi ela separar as duas partes da ferida para enfiar um algodão lá dentro e limpar. Depois levou 4 pontos e ficou com um penso enorme que mal abria o olho.

Saímos do hospital com 4 pontos, um penso enorme, a testa toda negra e a recomendação de não molhar a ferida. Voltámos lá dois dias depois para mudar o penso e fomos tirar os pontos no dia de Natal.

Hoje, lembra-se que fez dói dói grande no escorrega vermelho e foi de tuk tuk para o hospital. Ficou uma pequena cicatriz junto à sobrancelha esquerda que mal se nota.

Para mais tarde recordar que a ele realmente tudo lhe acontecia.

Monday, December 10, 2007

DUVIDAS E INCERTEZAS DE MÃE...

Às vezes penso como as (des)precupações de mãe mudam bastante do primeiro para o segundo filho.

Não quero com isto dizer que não me tenha preocupado com a amorinha,mas vejamos bem as coisas.

O boneco desde que nasceu que está quase sempre doente, quase todos os meses tem qualquer coisa, nem que seja uma simples gripe.
Quando nasceu, durante um mês tive de ir todos os dias ao Centro de Saúde para ver o nível de icterícia que se manteve um mês no limite máximo. Se alterasse para um valor superior teria de ser internado. Teve cólicas durante um ano e não os 3 meses que se diz ser “normal” e chorava imenso, de noite e de dia...
Aos 5 meses apanhou uma conjuntivite na Tailândia e ficou com febre, aos 7 teve varicela (e eu também... pormenores...), aos 9 teve uma alergia na área genital que o dermatologista nunca identificou e que me fez deixá-lo andar sem fralda, despido da cintura para baixo e com um frio de rachar (e em Macau que quase nunca faz frio, foi preciso ter azar!). Depois uma ameaça de hérnia enguinal que levou o médico lá a casa, e ainda bem que foi só suspeita. E no meio umas quantas gastroentrites, uma delas fará 2 anos na Páscoa em que ele estava tão fraco que já não se conseguia levantar da cama e só não foi internado porque o pediatra e eu não confiamos muito no sistema de saúde e porque o pediatra me indicou o que devia fazer e me deu o fim de semana para ele melhorar, caso contrário era internamento. Não foi preciso, ainda bem...
A mais recentes das gastrites, há cerca de um mês na Tailândia que originou a suspeita de cólera e que acabou com ele a vomitar sangue...
Já nem falo de que quando alguém lá em casa fica constipado ele apanha sempre!...
Digamos que, infelizmente, já me habituei a que ele esteja quase sempre doente...mas não quer dizer que não me preocupe...

Tanta conversa sobre doenças surge porque a amorinha é muito raro estar doente. Sempre foi assim desde bebé. Lembro-me de ter tomado medicamentos uma vez e de ter tido febre meia dúzia de vezes... nada que me chegasse a preocupar muito.

Desde que começou a falar que ela se queixa de dores no umbigo e me pede massagem mesmo no umbigo. Inicialmente dizia que tinha dói dói,mas o medo pelo médico tem vindo a crescer, tal como ela e há muito tempo que diz que não tem.
Também tive a sensação há muito tempo atrás, talvez um ano ou mais que ela tinha um altinho ao lado do umbigo, mas fui desvalorizando e comecei a achar que talvez fosse impressão minha.
Na terça-feira quando a despi para o banho, fiquei preocupada, tinha uma pequena bola do lado direito do umbigo, parecia um pequeno ovo de galinha. Nesse dia telefonei ao pediatra mas não o consegui apanhar e como ela não se queixava não insisti. No dia seguinte estava mais pequeno...
Na quinta-feira ficou com febre e vomitou. Telefonaram da creche para a ir buscar e levei-a ao pediatra que mandou vigiar e que inicialmente parecia não acreditar no “altinho” pois com ela deitada não se vê, mas quando a sentei e depois pus de pé ele perguntou-me porque nunca tinha mencionado que ela tinha este alto... mas a verdade é que sempre desvalorizei... era mesmo muito ligeiro...

Trata-se de uma pequena hérnia que às vezes está mais saliente que outras e que poderá ser necessário fazer “uma pequena correcção”, palavras do pediatra que vai pedir a opinião de um outro pediatra do hospital público pois se necessitar de intervenção cirúrgica será ali realizada... Vamos aguardar e observar e ter atenção às queixas de dores de barriga da amorinha.
Vamos também ver a febre e os vómitos que podem ser uma pequena constipação ou podem ter a ver com a hérnia.

E, para quem nunca teve nada...

Entretanto, a febre (e os vómitos) só se manteve na quinta à tarde e à noite e na sexta-feira ficou em casa mas sem nada e bem disposta. O “alto” voltou a ficar maior no sábado tendo voltado “ao normal” no domingo.

Tuesday, November 27, 2007

ESCOL(H)AS

Há dúvidas de mãe que assaltam todas as mães.
Há sempre dúvidas sobre se estamos a fazer o melhor e se lhes estamos a dar o melhor exemplo, a melhor educação.
Em Macau essas dúvidas estão muito mais presentes.
Penso que assim é para todas as mães que tentam educar os seus filhos fora do seu país.
A escolha da escola torna-se uma verdadeira “dor de cabeça”. Qual é a melhor? Qual a que ele deveria frequentar? Que línguas aprender...
E a escolha da escola pode influenciar todo o futuro daquela criança que tem 3, 4, 5 anos...
Encontro-me numa encruzilhada sem saber qual o melhor caminho a seguir.
O meu filhote está numa escola internacional, aprende inglês e mandarim. O português fala comigo em casa. Já está a aprender a ler e já lê muita coisa em inglês e vai soletrando as palavras para as escrever (não lê nem escreve mesmo como deve ser porque é preguiçoso, mas com 5 anos também não insisto, ainda é cedo, tempo de brincar...)
No próximo ano começa a primária e a minha “dor de cabeça” sobre o que fazer já começou, pois a minha escolha vai, muito provavelmente, decidir o futuro dele, futuro que como qualquer mãe quero que seja o melhor.

A escola onde ele está é particular e a mais cara de Macau, com as propinas a subirem todos os anos e de acordo com o ano lectivo em que a criança está. Seria suportável para um filho, mas há a mana e dois naquela escola (e eu quero que andem na mesma escola e tenham a mesma educação) não é muito viável. Além de que já me falaram que o currículo da referida escola não é muito bom, o que também me deixou a pensar...
E não aprende português, teria de arranjar aulas particulares para que aprendesse (mais uma despesa extra...)

Eu queria, porque é o meu país e porque temos família lá e casa em quase todos os pontos do país onde ele poderia ficar, que ele fosse para a Universidade em Portugal. Para tal, penso que o ensino em português seria o que ele deveria seguir. Ao mesmo tempo há quem me fale que a escola portuguesa não é como as escolas inglesas e que está mais desorganizada, os miúdos são um pouco rudes uns com os outros, os miúdos mais sossegados (o meu talvez se insira nesta “categoria”) têm problemas de adaptação e não há quem os vigie nos intervalos e verifique se vão às aulas (e a filha de 6 anos duma amiga faltou a uma aula...). Depois há a questão do ensino em si. Sei que os professores são bons e há um professor para cada disciplina, mas eu queria que o meu filho (e a minha filha) aprendessem chinês – mandarim, que o cantonense falam em casa e escreve-se da mesma maneira - mas o nível de mandarim do meu filho é muito superior aquilo que a escola portuguesa ensina. Aliás, o mandarim da escola portuguesa, pelos poucos conhecimentos que tenho, parece-me demasiado fraco para quem quer ficar em Macau.
A vantagem desta escola é que, embora sendo particular, está na rede e é subsidiada pelo governo sendo as propinas muito acessíveis. Nesta escola aprenderia português e inglês e teria de lhe arranjar aulas particulares de mandarim para um nível mais avançado.

Há ainda a possibilidade de uma outra escola inglesa onde a primária é subsidiada e ele faria a primária em inglês e depois decidia se continuava lá, já a pagar propinas, mas mais baratas que na escola onde ele está ou se mudaria para a escola portuguesa... Isto se ele entrasse nesta outra escola em inglês e eu nem sei se quero que entre...

Dúvidas, muitas dúvidas... para quem quer que o filho tenha o melhor de “todos os mundos” e aprenda inglês, mandarim e português. E, se o mandarim da escola portuguesa fosse bom eu teria o meu problema quase, quase resolvido.

Monday, November 26, 2007

ORGULHO


O meu boneco adora o hóquei em patins.
Diz o treinador que tem jeito e esta mamã fica babada e vai tentando perceber um pouco deste desporto que me faz confusão por parecer violento, mas ao mesmo tempo obriga os miúdos a terem cuidado com os outros.
Todos os sábados há treino e ele espera ansiosamente que chegue o dia dos treinos.
Adora mostrar aos que chegam de novo, muitas vezes (ou deveria dizer, sempre) mais velhos que ele, que ele já sabe patinar, até para trás, o que não é tão simples como parece quando vejo os jogos de hóquei (pedaços de jogos) na televisão.
Ele é o mais novo, não sendo, contudo o mais pequeno e fica todo orgulhoso porque sabe patinar e os outros não.
No sábado passado, com três novos patinadores, dois deles que devem ter uns oito anos deixou-o muito orgulhoso de si mesmo e veio confidenciar-me que os outros meninos eram grandes, mas não sabiam patinar. E eu expliquei que eu também não sei pois nunca aprendi e ele antes também não sabia e que não devemos fazer troça de quem não sabe mas sim ensiná-los. E ele dá-lhes dicas quando passa por eles.
Para culminar em grande a noite, o treinador mudou-o para junto dos meninos mais avançados. E era vê-lo, pequenino e desajeitado a tentar fazer o treino com bola e a acompanhar os outros, bem mais rápidos pois além de terem mais tempo de treino são também mais velhos, com uma média de idades de 8 anos, talvez.
E esta mamã começa a achar que afinal o filho até tem mesmo jeito para este desporto com o qual esta mamã nunca tinha sonhado (é mais futebol...).
E veio feliz do treino, tão feliz e excitado que nem adormecia...

Thursday, November 22, 2007

Para desanuviar...

Continuo por aqui e por aí, embora tenha andado mais pelo outro blog pois as experiências na cozinha são óptimas para desanuviar.

Hoje para desanuviar decidi fazer este teste que vi no blog da Akemi.


Desafios de perguntas e respostas

01- Que horas são?
14:20
02- Nome?
Sandra03 - Quantidade de velas no teu último aniversario?
Duas
04 - Tatuagens?
Não
06 - Piercings?
Brincos nas orelhas conta? E o meu irmão até tem o curso de piercings...
07 - Já foi à África?
Não, mas gostava de ir à África do Sul e a Cabo Verde visitar amigos.
08 - Já ficou bêbado?
Not really, só um pouco alegre, não sou capaz.
09- Já chorou por alguém?
Sim, mas não muito, não é do meu feitio.
10 - Já esteve envolvido em algum acidente de carro?
Já, num acidente aparatoso perto da Praça de Espanha em Lisboa, a caminho da Ponte 25 de Abril, cerca das 3 da manhã. Um toque de outro carro que se despistou e bateu no carro que o meu colega de universidade conduzia e fez com que subisse o passeio e acabasse inclinado em cima de um arbusto. Um grande susto, felizmente sem consequências!
11- Peixe ,carne ou frango?
Todos, depende dos dias.
12 - Música preferida?
A que define o meu sentimento pelos meus filhotes: “From this moment on” da Shania Twain e a que me define um pouco a mim: “The greatest love of all”
13- Cerveja ou Champanhe?
Champanhe: Mouet & Chandon.
14 - Metade cheio ou Metade vazio?
Metade cheio.
15 - Lençóis de cama lisos ou estampados?
Tanto faz, mas prefiro lisos.
16 - Filme preferido?
Todos os que se baseiam em histórias verídicas.
17 - Flor(es)?
Todas
18 - Coca-Cola simples ou com gelo?
Não gosto.
19 - De que pessoa recebeu esse e-mail?
Vi no blog da Akemi e resolvi “roubar”.20 - Quem dos teus amigos vive mais longe?
Quase todos estão em Portugal.
21 - O melhor amigo?
Meu marido.
22 - Quem você acha que vai responder a esse e-mail mais rápido?
Nao vou enviar email, vou publicar nos meus blogs, o de culinária e o dos filhotes.
23- Quantas vezes você deixa tocar o telefone antes de atender?.
Na maioria das vezes poucas, depois há as vezes em que não o ouço...
24 - Qual a figura do seu mouse-pad?
Não tenho mouse pad.
25 - CD preferido?
Neste momento o último da Norah Jones
6 - Mulher bonita?
Mulher independente que luta por aquilo que quer, tem vontade própria e é inteligente. E a Angelina Jolie.
27- Homem bonito?
O meu marido?! E o George Clooney!28 - Pior sentimento do mundo?
Inveja e ganância29 - Melhor sentimento do mundo?
Altruismo e amizade.
30 - O que uma pessoa não pode ter para ficar com você?
Ser mentirosa e intriguista.
31 - Qual o primeiro pensamento ao acordar?
Ao fim de semana: tão cedo?! (é o filho que me acorda)
Aos dias de semana: já? Vamos chegar atrasados...
32 - Se pudesse ser outra pessoa, quem seria?
Acho que eu mesma, mas com mais dinheiro para poder ajudar a família e amigos
33 - O que você nunca tira?
Acho que não há nada que nunca tire...
34 - O que é que você tem debaixo da cama?
Roupa de cama, toalhas de banho e de mesa (nas gavetas da própria cama)
35 - Qual a pessoa que talvez não te responda?
Bem, é difícil de prever.
36 - Aquele que com certeza vai te responder?
Não sei.
37 - Quem gostaria que te respondesse?
As minhas comentadoras a este post (claro que ninguém vai comentar...)
38 - Uma frase:
If you love somebody, let him go.
If he comes back to you is because he really loves you, if not it was never meant to be.
39 - Que dia é hoje?
22 de Novembro de 2007, o dia seguinte ao aniversário da minha (boa)drasta
40 - Qual livro vc está lendo?
Marion Zimmer Bradley: Senhora das Tormentas
41 - Uma saudade:
A minha avó!...
42 - Uma característica tua:
Teimosia ou persistência (depende do ponto de vista)

Wednesday, November 14, 2007

EU

Tenho andado afastada deste mundo.
Gosto dele, já faz parte de mim, mas não ando com muita vontade de andar por aqui e deixar comentários.
Tenho lido alguns blogs e comentado mas a maioria dos que tenho lido não tenho comentado, alguns há que nuca comentei.

E (ainda) ando às voltas com o template e os links.
Já agora as meninas que comentarem e não virem ali ao lado o link avisem para o acrescentar pois já estou um bocadinho perdida sobre os que acrescentei e os que faltam...

Estou cansada das não férias e tenho mais trabalho do que antes, contudo nada de mais.
A amorinha continua a acordar de noite para beber o seu “titinho” (leitinho) e ultimamente o mano também. Às vezes é o papá que prepara o leite, mas às vezes está a dormir tão bem que não o acordo. E depois sinto-me cansada, com sono e falta de energia...

E sinto que me falta tempo, mais tempo para estar com eles e que o final do dia é pouco.
E, dei comigo no início desta semana a ralhar com o meu boneco porque não se vestiu sozinho e estávamos atrasados e só quando ele começou a chorar é que vi que lhe tenho dado tão pouca atenção e que apesar dele estar tão grande (mede 1,18 m) ainda é o meu bebé grande.

E sinto que não consigo dar conta de tudo, que tenho tantas coisas que gostava de ter feito de outra maneira e que muitas vezes me vêm à memória certas imagens, certas frases que me fazem pensar e me deixam nostálgica.

E penso em tantas coisas que queria escrever aqui, mas neste momento não sai nada de jeito e por isso anda assim meio abandonado.
Mas eu ando por aí... feito barco à deriva...

Jean Sebastien Monzani


Tuesday, November 06, 2007

A SAGA DE UMAS (NÃO) FÉRIAS

26.10
Foi a festa de Halloween na escola do boneco. Mesmo ao sair um colega dele vomitou e ele acabou com o fato de Spiderman ligeiramente salpicado.
À noite a grande surpresa: Vamos para a Tailândia!
Avião low cost da Air Asia, Macau-Bangkok, sem atrasos e sem qualquer problema.
Chegada a Bangkok com uma roda da mala Samsonite grande partida. Compensação THB400, cerca de 100 patacas ou 10 euros.
Táxista idiota a pedir 5 vezes o que acabámos por pagar e a “fazer-se de parvo” que não sabia onde era o hotel, a 10 minutos do aeroporto: Grand Inn Come. Nada de especial mas muito perto e óptimo para ficar só “em trânsito”.

27.10
Novo voo: Bangkok-Phuket
Muita pressão ao aterrar em Phuket, muitas nuvens e muita chuva. Estrada principal que liga o aeroporto de Phuket a Patong com desvio e a estrada da montanha que mais parecia um rio e que me assustou um pouco, pois com tanta água que corria duvidei da capacidade de aderência dos pneus...
O quarto do Thara Patong que só tem uma cama, mas é no rés do chão, mesmo em frente da piscina (1105). O babycot é grande.
E a chuva que continua a cair torrencialmente...

28.10
Apesar da chuva dá para ir à piscina nos “intervalos” e os putos divertem-se.

29.10
Mais um dia de “piscina nos intervalos da chuva” e até de piscina mesmo a chover.
À noite as coisas começam a complicar-se. O boneco começa a vomitar.

30.10
A noite foi tão má com vómitos e diarreia que fomos ao Hospital de Patong com o boneco.
Como vomitou imenso estava sem forças e mal se aguentava em pé pelo que o papá o levava ao colo. Quando o viram assim mandaram-no entrar logo para a sala das urgências.
Devido à chuva e às inundações há um surto de cólera em Phuket e queriam internar o boneco para observação durante 2 dias. Os sintomas apresentados, segundo a médica poderia ser cólera e é altamente contagioso. Tivemos de assinar um termo de responsabilidade e mesmo assim o delegado de saúde pública veio tentar convencer-nos que era melhor ele ficar lá a ser observado. Recusámos sempre e deixámos o contacto do hotel. Fizeram análise às fezes para despiste de cólera e tivemos de fazer o relato do que tínhamos comido desde o dia 26 ao almoço...
Receitaram vários medicamentos, tudo comprimidos que o papá esmagava para ele tomar com água mas que de seguida vomitava.
À tarde recebemos mensagem da recepção do hotel a informar que tinham telefonado do hospital para saber a evolução e se mais alguém da família se estava a sentir mal. E eu tão nervosa que já me doía estômago, barriga, eu sei lá...
Mais tarde voltaram a telefonar para levar o boneco no dia seguinte por volta das 9 da manhã ao hospital. E neste dia pedimos ao hotel para fazer arroz cozido com muita água, uma espécie de canja, para o boneco comer, mas ele pouco comia e o que comia vomitava. Uns goles de água e um pouco e Pocari (bebida para atletas) lá iam aguentando.
Ironia do destino foi um dia de sol!
À noite surgiu a febre que controlei com supositórios Benuron que tinha levado (no hospital deram comprimidos paracetamol).

31.10
Depois de uma noite mal passada, com vómitos, mas sem diarreia, mais uma manhã no hospital.
Queriam testar a família toda para despiste de cólera, pois um de nós podia não sentir nada, mas ser portador do vírus. Recusámos e perguntámos o resultado do despiste do boneco.
Muitos telefonemas, o delegado de saúde que vem insistir para fazermos o teste e nós a insistir para saber o resultado do teste do boneco, que nos informaram uns 30 minutos depois de telefonema para aqui e ali e “reuniões” de delegado de saúde-enfermeiras que era negativo.
Eu suspeitava (suspeito) que o vírus que atacou o boneco foi o do colega que vomitou na escola.
Quando finalmente perceberam que mais ninguém ia ser testado para nada consultaram o boneco e mudaram os comprimidos do dia anterior para xaropes.
Mais um dia a água, Pocari e “canja” de arroz pedida no hotel.
Nestes dias, a amorinha conseguiu divertir-se na piscina com o papá enquanto eu ficava com o boneco no quarto.
Ao fim do dia o boneco insistiu muito em ir à piscina e disse que podia molhar os pés.
Levava vestida uma T-shirt pintada pela minha cunhada L. com o Homem Aranha e o nome dele e assim foi muito fácil para esta linda menina nos identificar. Uma Pintas com muita pinta, assim como o marido.
Ele estava tão mal que chegámos a equacionar regressar no dia seguinte, mas como entretanto estabilizou decidimos ficar.

01.11
O boneco passou a noite melhor e apesar de ainda comer muito pouco pediu para ir à piscina. Concordei e passámos o dia na piscina com a Pintas e o marido com quem a amorinha se andou a meter.
Ao final da tarde, depois da chuva e a pedido do boneco fomos à praia.
Fiquei desiludida. Desde Dezembro de 2005, um ano após o tsunami que lá não ia.
O mar “comeu” metade do areal e antigamente havia imensas cadeiras, umas 4 filas e ainda havia areia até à água. Agora tem 2 filas de cadeiras que ficam quase na água.
Havia também zonas delimitadas para os banhistas e onde os barcos e motas de água não entravam, agora não e deu-me a sensação ser perigoso estar na água com as motas de água...
Como a extensão de areia é muito mais pequena a areia “dura” fica muito perto da estrada e havia por lá, sim, pela praia, motas e carros que iam buscar as motas de água. Com tanto trânsito tive medo do boneco ser atropelado (e não estou a exagerar) pois ele andava a correr para ir molhar os pés e voltar ao sítio onde tinha posto as toalhas.
A reter deste dia um boneco doente mas muito feliz que tomou o seu primeiro banho de mar pela mão do papá.

02.11
Um dia calmo de piscina com bastante chuva.
De madrugada o boneco vomitou e tinha sangue o que nos assustou bastante.

03.11
O regresso cheio de preocupação.
Um telefonema de Bangkok para o pediatra dele que me/nos acalmou e que disse que o sangue era normal, podia acontecer resultado do esforço. Para beber golinhos de água gelada várias vezes, água de cozer o arroz misturada com o leite, também gelado e canja de arroz e peito de frango, sem gordura, também fria.

04.11
Apesar de ser domingo o pediatra foi ao consultório para observar o boneco que entretanto estava melhor, mas a quem o pediatra mandou fazer dieta durante 2 dias para ter a certeza que não havia sequelas. O pediatra também diz que o virus pode ter sido passado pelo tal colega uma vez que ele teve uma gastrentrite viral.

E umas férias que eu pensei que seriam as primeiras verdadeiras férias deste ano e que daria para descansar física e psicologicamente, deixaram-me “de rastos”...

Monday, November 05, 2007

RESUMO RESUMIDO

Já regressámos de uma semana de férias que se resumem em três (quatro)palavras:
Muita chuva, doença e preocupação.
Agora já está tudo bem.
Mais novidades amanhã ou depois.

Friday, October 26, 2007

HALLOWEEN E DESCANSO

Hoje é o último dia de aulas na escola do boneco, antes do Halloween.
Na próxima semana estão de férias “mid-term break”.
Foi mascarado de Homem aranha ou “mano shipaidaman” como diz a amorinha.
Não é bem uma máscara de Halloween, mas das outras ele tem medo.
Havia imensos “homens aranha”, “batmans”, princesas e outros que não são bem trajes de Halloween.
À tarde foi o desfile e que contentes eles estavam a ir de sala em sala a pedir “trick or treat” e também ao gabinete do reitor.


E, para aproveitar a próxima semana de férias do boneco e o feriado dos finados, que aqui é no dia 2, esta família vai descansar para outras paragens.
Regressamos ao vosso contacto no dia 5 de Novembro.


E deixo abaixo alguma informação sobre o Halloween retirada

Halloween - A Noite das Bruxas
Sabias que Halloween vem de Dia de Todos os Santos? Este diz-se em inglês All Hallows Day. Como sabes, a noite anterior a este dia é muito importante, por isso Halloween é uma abreviatura de All Hallows Even - "Noite de Todos os Santos"!
Como já dissemos, acreditava-se que na Noite das Bruxas os fantasmas voltavam à Terra em busca de alimento e companhia para levarem para o outro mundo.
Assim, as pessoas pensavam que encontravam almas penadas se saíssem de casa nessa noite.
Por isso, para não serem reconhecidas pelos fantasmas, usavam máscaras quando saíam de casa, para serem confundidas com espíritos que andavam à solta a tentarem apanhar almas vivas.
E para manter os espíritos longe de casa, as pessoas colocavam tigelas de comida à porta para os satisfazer e os impedir de entrar.
Também para se proteger, carregam lanternas, porque a luz e os fantasmas não se dão muito bem...
Uns são da noite e das trevas (escuridão e morte) e a luz significa a vida.

História do Dia dos Mortos - os celtas
Há dois mil anos os celtas habitavam a Inglaterra, Irlanda, França e Península Ibérica. Costumavam comemorar o Dia de Ano Novo a 1 de Novembro.
Para eles era o fim do Verão, das colheitas e o início dos Invernos escuros, com tempestades e muito frio. Era nesta altura do ano que a população celta sofria mais mortes, por causa do tempo.
Por isso, os druidas (os seus sacerdotes) acreditavam que a noite de 31 de Outubro era uma espécie de abertura da passagem entre a vida e a morte.
Assim, pensavam que nessa noite os fantasmas do mundo da morte andavam à solta na Terra em busca de alimento e por isso faziam fogueiras no alto das colinas para os afastar. Essa noite era chamada de "Samhain", o "Dia das Almas".

Além de causarem problemas e prejudicarem as colheitas, os celtas acreditavam que a presença dos espíritos auxiliavam as adivinhações dos druidas.
Alguns séculos mais tarde, a influência do Cristianismo espalhou-se pelas terras celtas e no início do século VII, o Papa Bonifácio IV designou o dia 1 de Novembro como "O Dia de Todos os Santos".
No século X, a Igreja dedicou o dia 2 de Novembro às almas, em memória de todos os falecidos.
Halloween, Dia de Todos os Santos e Dia dos Mortos fundiram-se numa mesma tradição

Halloween - Jack e a abóbora


(Imagem do Clube Junior)
O uso da abóbora iluminada, chamada "Jack o' Lantern" (Jack da Lanterna), no dia do Halloween surgiu com os irlandeses, que são um povo religioso, mas muito supersticioso.
Diz a lenda que, depois da sua morte, um homem chamado Jack foi proibido de entrar no Paraíso porque em vida era muito avarento. Mas as portas do Inferno também lhe foram fechadas porque ele enganou o Diabo!
Sem ter para onde ir, foi condenado a andar na escuridão.Por isso implorou ao demónio que acendesse umas brasas para iluminar o seu caminho e, dessa forma, foi-lhe entregue um pedaço de carvão incandescente.
Para ver o caminho, Jack colocou o carvão dentro de um buraco de nabo.
De início, usava-se o nabo, mas quando os irlandeses chegaram aos Estados Unidos, encontraram pouquíssimos nabos no campo, mas como havia abóboras em abundância, fizeram a substituição.
Quando esta tradição chegou aos Estados Unidos e ao Canadá (com os irlandeses, claro) foi logo acrescentada aos festejos do Halloween / Dia de Todos os Santos / Dia de Finados

Halloween - "trick or treat!"
A tradição de dar doces, guloseimas e frutas veio dos duendes (e da Irlanda), que eram considerados maus (!) pelos antigos celtas. Nessa noite eles gostavam de pregar partidas ("tricks") aos humanos.
Para lhes agradar e evitar as suas maldades, as pessoas deixavam doces e frutas ("treats") à porta das suas casas.
Daí surgiu a famosa frase "trick ou treat" que dizem as crianças norte-americanas (e canadianas) quando celebram o Halloween, o Dia das Bruxas, e pode ser traduzida como "presentes ou partidas".
Já reparaste que esta história do «Pão por Deus» das crianças portuguesas pedirem à porta das casa é parecida com a das crianças norte-americanas?
Como se diz que nessa noite os fantasmas andam à solta, todas as partidas são válidas, mas é preciso estar mascarado como eles (os espíritos) para não sermos levados pelas almas do outro mundo.
· Também para se protegerem deles, os miúdos carregam lanternas feitas com uma abóbora escavada.
Essas lanternas também se põem à porta de casa, para espantar os espíritos.
Desde há algum tempo, Portugal tem-se deixado influenciar por muitos aspectos que não fazem parte da nossa cultura e tem celebrado o Halloween nas escolas, clubes e até em centros comerciais, quando deviam olhar para as tradições que são mais nossas. Ora lê!

Tuesday, October 23, 2007

UNDER CONSTRUCTION


De modo a aproveitar melhor o que o beta oferece ando às voltas do template.

A interrupção de postagens deve-se apenas a que como estou a actualizar os links vou abrindo todos os links que vou inserindo e comentando, o que demora o seu tempo, coisa que escasseia.

Ainda tenho umas dúvidas e eu queria por as páginas dos links a abrir numa nova janela e não sei como se faz.

Queria também por uma foto com links ao carregar sobre a foto e também não sei como se faz e é a aprender essas coisinhas que demora tempo.

Ms eu vou perguntando or aqui, sintam-se à vontade para partilhar experiências, dar ideias, a vontade é mesmo mudar!

Wednesday, October 17, 2007

TUDO BEM

Tudo bem quando acaba bem!
Já diz o provérbio e espero que tenha mesmo acabado...
Ontem finalmente a amorinha dormiu descansada e não demorou mais de 2 horas para adormecer.
O boneco melhorou e hoje foi à escola, mas para prevenir, não vai à piscina.
Eu queria mudar o template do blog e acho que vou estar uns tempos sem postar por aqui para ver que "asneiras" faço.

Tuesday, October 16, 2007

POEMA


Death is nothing at all
I have only slipped away into the next room
I am I and you are you
Whatever we were to each other
That we are still
Call me by my old familiar name
Speak to me in the easy way you always used
Put no difference into your tone
Wear no forced air of solemnity or sorrow
Laugh as we always laughed
At the little jokes we always enjoyed together
Play, smile, think of me, pray for me
Let my name be ever the household word that it always was
Let it be spoken without effort
Without the ghost of a shadow in it
Life means all that it ever meant
It is the same as it ever was

There is absolute unbroken continuity
What is death but a negligible accident?
Why should I be out of mind
Because I am out of sight?
I am waiting for you for an interval
Somewhere very near
Just around the corner
All is well.
Nothing is past, nothing is lost
One brief moment and all will be as it was before
How we shall laugh at the trouble of parting when we meet again!

Henry Scott

Gostei muito deste poema deixado num comentário pela Cristina dos Pensamentos Felizes. Obrigada.


O Boneco está em casa com Amigdalite, hoje está melhor e provavelmente amanhã volta à escola.



Monday, October 15, 2007

ANDANDO...

AMORINHA
Na quarta-feira passada a amorinha perdoou-me e aceitou que fosse eu a adormecê-la, como sempre. Desde aí que é uma grande “cola” e não me larga as “saias”. Mas tem muito medo que me vá embora e se por qualquer motivo não me vê diz logo “Mamã, Putugau”. E está muito sensível, não se pode ralhar com ela que ela chora logo muito sentida. Está crescida e linda.

BONECO
Está um menino cada vez mais crescido, mais esperto e colaborador naquilo que lhe peço.
É bom aluno e gosta de aprender e de ajudar na escola e na sexta-feira passada recebeu um certificado por escrever “direitinho e bonito”. Anda interessado em aprender a escrever e pergunta-me como se escrevem as palavras.
Quer ir a Portugal no próximo ano e já perguntou se falta muito tempo.
Hoje ficou em casa meio doente, vomitou de noite e teve um pouco de febre. Para prevenir ficou em casa. Vamos ver a evolução.

OS DOIS
Divertiram-se imenso ontem, aqui, na piscina.
Ele porque já sabe nadar e nadou imenso.
Ela porque não tem medo da água e atira-se para a piscina.
Brincaram imenso, sempre muito felizes.

A MAMÃ
Está cansada devido à noite mal dormida que o boneco deu e a outras em que tem dormido pouco.
Perdeu cerca de 5 quilos nesta viagem de uma semana a Portugal.
É uma complicadinha para acertar horários para dormir e para comer (daí ter perdido peso, mas também não faz mal nenhum).
Está a precisar de férias.

Monday, October 08, 2007

OBRIGADA


Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós.
Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.
Antoine de Saint-Exupéry

Queria agradecer a todos os que por aqui passaram e deixaram uma palavrinha, assim como aos que enviaram emails e mensagens. Desculpem não responder, mas cheguei ontem à noite (consegui antecipar a viagem) e hoje vim trabalhar. Estou muito, muito cansada e a minha filha está tão zangada comigo que nem me dá a mão.

Apesar de estar à espera deste desfecho é algo para o qual nunca estamos preparados.

Conseguir viagem na “Semana Dourada” em que toda a China está de férias não foi nada fácil.

A minha avó faleceu às 6:30 (hora de Portugal) mas o médico quis informar pessoalmente a família e só o conseguiu fazer depois do meio dia (19 h de Macau).
Comprei bilhete na Internet para a manhã do dia seguinte mas não foi fácil e o regresso ficou marcado para terça feira. O marido foi logo comprar bilhete de jetfoil para as 6 da manhã e já só havia em super classe que a económica estava cheia.

Não dormi nessa noite a preparar as poucas roupas que precisava levar e a deixar as coisas orientadas cá por casa.

O boneco percebeu que não podia ir e que eu ia sozinha. Ela é demasiado pequena e não percebeu. Saí de casa com ela a chorar pela mamã, depois de ter tirado a minha mão do meio das suas duas mãos pequenas que me seguravam com toda a força do seu pequeno ser. Eram 5 da manhã. O papá diz que chorou um bom bocado. Nos primeiros 2 dias eu telefonava e ela nem se aproximava do telefone, depois começou a falar comigo ao telefone e ontem quando cheguei não me dava a mão, deve pensar que me vou embora novamente. Tenho de a deixar ganhar confiança.

A viagem de avião para Portugal foi muito cansativa, um grupo de chineses jogou às cartas atrás de mim durante toda a viagem fazendo um barulho infernal e abanando a cadeira, impedindo-me de dormir. Foi a segunda noite sem dormir...
Em Amsterdão tinha de esperar cerca de 5 horas e aproveitei para mudar a data de regresso. Uma funcionária muito simpática da KLM (companhia em que viejei pela primeira vez tentou várias possibilidades até conseguir).

Cheguei a Portugal às 23:20 de domingo.
No dia seguinte, às 9:00 estava em casa da minha mãe e antes das 10 h à porta da capela à espera do corpo. O funeral foi às 17 h.

Nos outros dias tratei de algumas coisas necessárias e ainda deu tempo para ir ao Forum Montijo dar uma volta para arejar as ideias. Conduzi todos os dias, excepto no dia do funeral. Não fui a Lisboa, fiquei pelo Montijo e Moita.

Sábado pati de Portugal às 18:30 (hora de Portugal) num voo da Air France que aterrou ontem às 17:15 em Hong Kong (hora local). Cheguei a Macau às 20:00 e a casa cerca de 30 minutos depois. Estou cansada.
Mais uma vez, obrigada a todos.

Sunday, September 30, 2007

PARTIU

"Mas Deus leva os que ama
Só Deus tem os que mais ama"

A minha avó materna partiu hoje para sempre.

Estarei em Portugal de 01 a 08.10

Friday, September 28, 2007

POR CÁ…

Na quarta-feira foi feriado do Bolo Lunar.
O Boneco teve escola, a Amorinha não teve creche.
Em Macau os feriados não são para todos.
Depende se a escola é católica, chinesa, portuguesa ou estrangeira.
Depois do papá levar o Boneco à escola, fomos com a Amorinha ao Jardim e ela brincou imenso, feliz da vida por ter o papá e a mamã só para ela.
Depois, face ao facto da mamã ter de encarar a necessidade de se deslocar a Portugal sozinha decidiu vencer um dos seus grandes medos: conduzir!
Com carta há 14 anos sempre tive pânico de conduzir e ficava tão nervosa que nem conduzia em condições, aliás nem se pode dizer que conduzia. Depois habituei-me a ser conduzida...
Em Portugal, é necessário conduzir.
Tenho de encarar o facto que a minha avó está presa à vida pelas máquinas, é a Lei da Vida... e eu tenho de ir a Portugal sozinha e ninguém me conduzirá, eu preciso de o fazer.
A necessidade faz a habilidade e eu já conduzi mais desde quarta-feira do que nestes 14 anos. E até me dou ao “luxo” de “discutir” a minha “linha” (aqui adoram cortar linhas, principalmente nas rotundas, dá muito trabalho rodar o volante).
E, por incrível que pareça não fico nervosa. Claro que ainda me falta prática, que o carro vai abaixo de vez em quando, que ainda tenho dificuldade em segurar bem o volante só com uma mão enquanto ponho as mudanças e que para estacionar é preciso escolher muito bem o lugar... mas com o tempo vou lá. E já não me assusta conduzir em Portugal...
E ontem recebo um telefonema a dizer que piorou, que já não reage a nada, no dia anterior já não conseguia abanar a cabeça, mas ainda conseguia apertar a mão para comunicar com a minha mãe.
Ontem gravei a voz do Boneco e da Amorinha para ela ouvir e depois pus no telefone que a minha mãe lhe encostou ao ouvido. Não dava para ser com eles a falar que a minha mãe só lá vai depois do trabalho e aqui são duas da manhã.
Mas ela não reagiu, nada, nada...
Nem chorou...

Tuesday, September 25, 2007

ESPERANÇA

Pode ser a última a morrer e pode ser a que tudo alcança mas há situações em que já não há esperança, ou em que toda a esperança é que não sofra (muito) com toda a situação.
E aquilo que se diz num dia é desdito no seguinte, porque chegou a uma idade em que já não tem resistência, em que o corpo está fraco (além de doente) em que as forças a abandonaram e em que o coração está cada vez mais fraco.
Um tumor é o que lhe causa as hemorragias. Falta saber a sua localização, talvez nos rins, na bexiga... Os exames não são recomendados devido à pressão arterial e ao estado de ansiedade que criam, estado também provocado pela doença de Alzheimer de que padece.
A juntar há ainda uma anemia de um grau bastante elevado e uma broncopneumonia que leva à acumulação de especturação nos pulmões. O corpo a desistir, a mente ainda a lutar. É esta a minha sensação.
Não vale a pena, foi o prognóstico da médica. Se fosse minha mãe também não faria os exames, foram as palavras da médica. Será?
Tratar a anemia e a broncopneumonia e dar-lhe medicamentos para aliviar as dores para que tenha um fim com dignidade...
E o que é um fim com dignidade? Um fim numa cama de hospital longe dos que ama e que a amam?
Se eu conseguisse tirar umas férias e ficar lá uns tempos com ela... e ao mesmo tempo seria estranho, estaria lá à espera que partisse...
Assim estou aqui a milhares de quilómetros de distância e a cada toque do telefone fico sobressaltada, penso qual será a notícia, se sairá do hospital e voltará ao lar, se ainda a verei com vida, se partirá em breve ou se ainda demorará, o que será melhor para que não sofra...
Sentimentos contraditórios, emoções difíceis de gerir, ideias confusas que populam a minha mente e não me deixam descansar em paz e me tiram a paciência para tudo e para todos.
E a vida continua (para alguns) e amanhã é um novo dia...

Monday, September 24, 2007

DISTÂNCIA


Longe dos olhos, longe do coração
O amor não conhece distâncias

Dois provérbios tão contraditórios que ultimamente, mais do que nunca me recordam da distância física a que estou de alguns daqueles que me são queridos, que estão “longe dos olhos”, mas nem por isso “longe do coração”.
Foi este o caminho que escolhi e embora muitas vezes as saudades e as dúvidas me assaltem sei que foi (e é) uma boa escolha.

A minha avó está internada.
Teve de levar transfusões de sangue devido a hemorragias que teve e está a soro.
Parece que tem de ser operada à vesícula, mas é com laser e só precisam fazer uns furinhos...
E chora cada vez que falo, ou melhor monologo com ela ao telefone....

O boneco já está quase recuperado e foi hoje para a escolinha, onde estavam poucos meninos que também estão doentes e a professora também está doente. Anda por aí um vírus muito poderoso!
A mana tem conseguido aguentar-se!

Ontem fomos conhecer a filha da minha amiga e a amorinha e o boneco queriam levar a bebé para casa. Adoraram!

E a mamã também, mas o tio L. e a tia L. vão ter uma Laurinha em Dezembro/Janeiro e matam-se assim as saudades de bebés pequenos.

E depois em Fevereiro será o tio R. e a tia E. que também vão ser papás, mas ainda não sei se é menino ou menina. Muitos primos e prima para brincarem em Portugal!

Wednesday, September 19, 2007

BONECO EM CASA

Estou cansada!
Tanta coisa para decidir, tanta coisa que não seria pela lógica responsabilidade minha, mas que é. Tanta coisa que a distância não ajuda...

ENtretanto desde sábado que o boneco está doente.
Uma febre ligeira no sábado, que se acentuou no domingo e continuou na segunda feira. Ida ao hospital para poder ficar com ele em casa.
Um médico que ao ser informado pela enfermeira que ele está com 37.8 ºC de febre se volta para mim e pergunta algo como "Ele tem febre. E então?" Pensei em muitas coisas para lhe responder mas desisti. Não vale a pena! Relatei-lhe os factos, pedi-lhe os respectivos atestados. Um dia para mim (nem comento), e um dia para ele (claro, faz todo o sentido, não é?).
Claro que ele continua em casa, sem atestado para levar para a escola, mas aquela escola não implica com essas coisas (ao menos isso).
A febre parece que já deu tréguas, ontem só chegou a 37.7ºC e esta manhã não tinha. Mas para "compensar" tem muito mais tosse, embora seja menos tosse do que antes de fazer o tratamento da asma.
Quer-me parecer que esta semana não há escola para ninguém!

Tuesday, September 11, 2007

HÁ 6 ANOS…

Imagem retirada da net


Férias em Torremolinos, Espanha
Grávida de poucos dias
Estava a regressar a Portugal
Ao passar por Sevilha
Decidimos passear
Em frente à embaixada dos Estados Unidos
Muitos jornalistas, muita confusão
Pensámos o que se passaria
Qual seria a ocasião
Seria alguma data especial
Algo que se celebrava
Não sabíamos o que se passava…
Não sabíamos do acidente
Não tínhamos rádio
Só a caminho de Portugal
A rádio em espanhol dizia
Que duas torres desmoronaram
Não percebia
Não fazia sentido
Fiquei sem reacção
Comentei que já não percebia espanhol
Que não podia ter percebido bem
Horas depois, já em casa
Ligo a televisão
As imagens no ecrã
Lembram-me um filme de acção
Fico sem reacção
Muita emoção
Muita desilusão
E tristeza no coração
Aos poucos a dura realidade
Que tudo era verdade
E estava a acontecer
Muitas pessoas a morrer
Outras a sofrer
Muita maldade
E também incredibilidade
Sobre o que se tinha passado
E como tinha sido planeado....

Monday, September 10, 2007

NO NEWS IS GOOD NEWS

Acho que nunca esta frase fez tanto sentido.
A vontade de andar pela net está em parte desconhecida.
Tenho escrito pouco no meu blog e este diário está quase um semanário.
De repente, tenho pouco para dizer e pouca vontade de o fazer.
Tenho lido alguns dos vossos cantinhos, mas até para comentar tenho tido preguiça e continuo a marcar tudo como não lido no bloglines que vai em mais de 2,000 posts novos...

Aqui o boneco está muito feliz com a escola porque afinal a turma tem muitos meninos e apenas 5 raparigas!
A amorinha continua com o dente cada vez mais preto.
Ontem a juntar ao dente preto há um grande galo e só não há uma cabeça partida porque a parede era de madeira e não muito estável e “mexeu” quando ela lá aterrou de cabeça, vítima de um empurrão do mano. Ela é muito chata e o mano com falta de paciência empurrou-a para a afastar, mas como é maior ela caiu com a cabeça contra a madeira.
Mais um galo enorme e um risco vermelho na testa. Muito choro, gelo e mano de castigo no quarto e sem ver televisão.
Esta manhã ao sair de casa voltou a empurrá-la pelo que logo à tarde também não há televisão (ele adora ver os desenhos animados do Nicklodeo).

A minha avó continua na linha descendente da doença e a minha mãe disse-me que no sábado desmaiou e foi necessário estar a oxigénio (a parte do oxigénio já é quase rotina, mas nunca tinha desmaiado) e chamar a médica. Já não fala mesmo nada e nem dá conta de quando tem a fralda suja. Alimentação só com seringa e está sempre deitada, já não se segurando sentada, nem mesmo amparada porque tomba. É triste envelhecer assim...
E há tantas outras coisas tristes envolvidas nisto tudo, tanta inveja e tanto ciúme que me fazem confusão e me entristecem ainda mais. Valem-me os meus dois pequenos grandes amores!

Tuesday, September 04, 2007

POR CÁ…


Ontem o meu boneco regressou à escola com direito a muito choro pois não queria mudar de turma e ter novos colegas e uma professora a falar espanhol (?) que ele não percebia.
Não me perguntem onde foi buscar tal ideia, naquela escola todos os professores falam inglês muito bem!

Foi também ontem que iniciou o tratamento da asma.

O regresso da escola também foi um pouco mais tarde que o normal porque era o primeiro dia e até saberem que estava toda a gente demorou, além do autocarro dar uma volta bem maior que no ano passado pois tem mais alunos para deixar e o ano passado ele era o segundo a sair do autocarro.

A mana continua sem dores e com o seu dente muito escuro, mas quando lhe pergunto se tem dores responde que não e fico mais descansada.
A única coisa que me deixa irritada é que com o horário do mano, ela este ano precisa de ficar 10 horas por dia na creche e eu não gosto nada, mas também não tenho outra escolha.

E, hoje chega a madrinha do boneco para voltar a morar em Macau por mais uns anitos (?) com a filhota, hoje que é o dia do seu aniversário: Parabéns! Já tínhamos muitas saudades vossas!

Friday, August 31, 2007

Thursday, August 30, 2007

SORRISO

Há dois sorrisos que me preenchem a alma e me fazem sorrir.
Um deles existe há mais tempo que o outro e tem um sorriso maroto, brincalhão e, agora, desdentado. ;)

O outro sorriso chegou depois e é um sorriso que enche a alma a qualquer um, um sorriso feliz, com dois grandes dentes à frente, sempre de fora, parece um coelhinho, lindo! Um sorriso muito maroto e brincalhão, também.
Foi no passado dia 16, mesmo antes de entrar no avião que numa brincadeira à porta de embarque os seus dentinhos, que andam sempre de fora, bateram no chão. Uma queda que resultou em muito choro e em sangue a escorrer da sua pequenina boca.
Muitos beijinhos da mamã com a promessa de que tudo ia ficar bem e que ia passar e muita água com gelo para que o sangue estancasse.
Muita simpatia a bordo. No voo maior (mais de 12 horas), adormeceu, mas mesmo a dormir choramingava do dói dói no dente e tinha o dente e a boca inchada, que me deixaram preocupada.

À chegada a Hong Kong enquanto comprávamos os bilhetes de jetfoil para Macau, ela brincava feliz com o mano. Uma cabeçada e mais uma vez o sangue no dente, o choro, a água gelada...

O tempo passou e uma semana depois noto que o dente está a começar a mudar de cor.
Telefono ao pediatra, explico o que aconteceu e diz que em princípio não há problema, mas para consultar o dentista.
E é assim que na passada segunda-feira pelas 17 horas, a amorinha foi ao dentista.
Muito medo, um choro que não se pode chamar choro, talvez lamúria e muito agarrada a mim, mas colaborante. Deixou o dentista ver o dente, respondeu que não doía e ainda se despediu dele com um aceno de mau e um “bye, bye”

Pois, não há nada a fazer, observar e ter cuidado, basicamente.
Não convém que volte a bater com o dente porque pode estar morto. Também pode não estar, pode estar apenas sujo de sangue por dentro. Duvida que esteja partido porque uma semana depois ela não se queixa com dores.
Continuar a observar porque se começar a inchar pode ser o sangue que se começa a acumular no dente e aí é preciso tirar (e se tal for, ela vai chorar muito :( pois é necessário fazer um pequeno corte acima do dente).

O sorriso vai ficar “feio” nas palavras do dentista porque o dente vai ficar cada vez mais preto.
Continua a ser o sorriso doce e lindo da minha linda amorinha.
Agora com o dente incisivo (?) superior direito com uma cor acizentada ou acastanhada e com um aspecto baço, mas desde que não tenha dores que todo o mal seja o dente “feio”.
Amorinha: I Love You!

Tuesday, August 28, 2007

RESUMO DAS FÉRIAS

O computador de casa esteve avariado.
Nós estávamos com jetlag, cansados e a precisar de descansar.
E eu não tenho muita vontade (nem tempo...) de navegar pela Net...
De qualquer modo aqui fica o resumo (longo!!!) das férias para mais tarde recordar...

26.07: Chegada a Lisboa pelas 22h30

27.07: Consulta no otorrino e ir ver a minha avó pela primeira vez. Andava e falava muito pouco. Gostei do lar onde está, a responsável é simpática e pareceu-me gostar mesmo do que faz.

28.07: O marido e o meu padrasto levaram a minha avó para casa da minha mãe onde almoçámos todos juntamente com a minha cunhada L., que está novamente grávida, parece que é uma Laura e nasce em finais de Dezembro/ inícios de Janeiro (depende de quando o médico vai fazer a cesariana) e os meus dois sobrinhos, o A. e o Ivan (1 mês mais velho que a amorinha) e o meu primo André. A minha avó mal comeu e mal falou e no fim do dia já estava “metida com ela mesma”, sem falar nada e sem responder ao que lhe diziam, algo que antes fazia abanando a cabeça ou as mãos. Fez-me muita confusão, tinha um olhar vago, perdido. Disseram-me mais tarde ser característico da doença de Alzheimer.
O meu boneco foi com o meu padrasto, o avô F. ao café. Foi a primeira vez que foi com uma pessoa sem mim. Está a ganhar asas. Depois andou um pouco no quintal de mota acelera com o avô F. Estava feliz, o meu menino.
À noite, em casa do meu pai também foi sozinho com ele para o armazém onde o meu pai trabalha, na mesma fazenda que a casa do meu pai onde eu estava.

29.07: Almoçámos com uma colega do papá no Montijo que tem duas meninas e o meu boneco ficou lá a brincar com elas enquanto nós fomos visitar a minha avó.
À noite em casa do meu pai, a minha madrasta, avó D. apanhou uns pardais e o boneco pediu-me para lhes fazer festinhas, o que me fez impressão, afinal estavam mortos e disse-lhes que estavam mortos. Resposta pronta que me deixou sem argumentos: “Eu sei, mas se estiverem vivos não lhes consigo fazer festinhas!” Como foram apanhados na rede e não deve haver problema deixei e lá foi ele todo contente com os dois pardais mortos na mão.
Foi também neste dia que conheci a minha homónima blogueira cujos filhos são dos mesmos anos que os meus. Muito simpática, bonita e faladora. Tinha a sensação que já a conhecia há muito tempo! Pena ter sido tão pouco tempo, mas as minhas férias este ano não foram férias.

30.07: Governo Civil para tirar passaporte para a amorinha e para o boneco. Ainda bem que a amorinha passa à frente de todos e o boneco aproveitou a “boleia” da irmã.
Almoço na Mátria em Picoas, para matar saudades dos tempos de estudante e rever os empregados que ainda são os mesmos!
Seguir para tirar o BI no Areeiro e esperar 100 números, que foi mais rápido do que tinha pensado. 3 dias para fazer o BI; em Macau demora 3 meses (agora, que antes era 1 ano).
Ver avó.

31.07: Fomos ao banco tratar de papeladas, depois fomos ver a avó.
Passámos no Forum Montijo à noite e o boneco sai com esta frase: “Vir ao Forum à noite é FIXE (primeira vez que o ouvi usar tal palavra), tem muitos lugares (para estacionar)!”

01.08: Fomos ao IKEA durante 1 hora porque o boneco queria brincar na piscina de bolas, a amorinha queria sopa, comprei uma – creme de cenoura ou algo laranja, mas realmente a comida é muito má, tinha tanto alho que estava intragável!
À tarde fui ao Alergologista e fiz os testes cutâneos que deram negativos, continuo “constipada” há um ano...
Devido à hora da consulta não fui ver a avó. Foi o único dia que não a fui ver.
À noite a Sofia e o marido vieram jantar connosco com o seu Filipe que está lindo!!!
E trouxeram umas queijadinhas de Sintra que eu já não comia há anos...

02.08: Nova deslocação ao banco. O boneco ficou em casa da avó D. e foi “trabalhar”com o avô A., meu pai e andou de empilhador com ele. Fomos ver a avó e seguimos para Lisboa para o boneco fazer os testes das alergias e da asma.
Alergias tudo negativo. Asma reversível, tratamento para fazer até regressar lá à consulta e análises para fazer.

03.08: Almoçámos em casa de uma colega de escola do boneco de Macau que estava de férias em Portugal, a Giselle. Tempo muito bem passado em que todos se divertiram e a amorinha estreou-se a partir um copo. Ooops!
Fomos fazer análises, eu e o boneco, por causa das alegias e foi um escândalo para ele fazer as análises. Começou a chorar quando lhe expliquei o que íamos fazer, soluçava enquanto me apresentava na recepção e gritava tanto lá dentro (ainda antes de lhe tocarem) que veio um dos médicos da clínica espreitar. Lá falei com ele e expliquei que se se mexesse, tirasse o braço ou algo assim é que o magoavam e que doía um pouco a espetar a agulha mas que depois passava. Enfim, conseguiram tirar-lhe sangue sem o magoar, mas como eu tirei primeiro e fiz força logo a seguir a segurar o braço dele não fosse ele mexer-se fiquei com um caroço no braço e ele no dia seguinte ainda me gozava pois o dele já só se via com lupa.
Fomos ver a avó e jantámos em casa do meu pai que desistiu de ir de férias para poder estar mais tempo com os netos que não o largavam...

04.08: Encontrámos um amigo do papá, o Bento que é casado com uma amiga da mamã, a Paula e têm 3 meninas: a Marta, a Mafalda e a Matilde!
Almoçámos com a minha mãe, fomos ver a avó e fomos ao Continente do Colombo.

05.08: Almoçámos em casa do tio R. e da tia E. que está grávida e o bebé nasce em Fevereiro.
Fomos ver a avó e fomos a Belém conhecer a “gémea” da minha filhota e a mãe que também estavam de férias em Portugal, revemos a Tia Moky e a sua travessa Natacha. Conheci ainda a Sónia que tem uma linda Laura e a Xana e o seu Vasco (não sei se têm blog...)

06.08: Fomos buscar BI e visitar a Dina à antiga Missão de Macau (agora com um nome mais pomposo que nunca sei qual é), almoçámos com ela ali perto e visitámos um antigo professor do papá, o Professor Muralha, que com 80 anos continua no activo, em part-time, mas activo!

07.08: De manhã o papá foi aos Registos Centrais para que rectificassem o nome da mamã no averbamento do casamento na certidão de nascimento dele, que eles escreveram mal e o papá é que teve de perder tempo a pedir a rectificação...
Eu fui com os miúdos ao Parque dos Poetas, que estava em obras, como quase tudo este ano (A5, 2a circular...). Eles adoraram andar por lá a correr mas estava tão cheio que me fez confusão.
À tarde fiz a minha primeira mamografia e ecografia mamária e tenho uns “nódulos” a vigiar que a doutora diz talvez ser gordura....
Fomos ver a avó e jantámos à da avó D.

08.08: A pedido da minha avó fomos a Fátima pôr 2 velas de 1.60 m que eu pensei serem muito caras e custaram € 1.75 cada.
O problema foi chegar lá, pois pela A8 não há qualquer indicação. Saímos mal, voltámos para trás e voltámos a sair e andámos pelas estradinhas de montanha e demorámos mais uma hora que o previsto. Sorte foi ter dado sopa aos filhotes numa estação de serviço.
O regresso pela A1 demorou apenas 1h30 e fomos ver a minha avó e mostrar as fotos de Fátima. Ficou feliz.

09.08: Fomos ver a avó ao Montijo, no regresso passámos pelo Cascais shopping (devo dizer Continente) e fomos jantar em casa do padrinho do papá que tem um filhote de 8 anos com o qual o boneco e a amorinha brincaram imenso.

10.08: Amorinha dormiu sesta em casa da avó D. e nós fomos ao Forum Montijo e depois fomos visitar a minha avó.

11.08: Almoçámos com a minha mãe, fomos ver a avó e depois fomos à festa de Alcochete para comprar farturas para o boneco que já tinha pedido. O papá ficou com eles no jardim a beira mar e eu e a minha mãe fomos a pé comprar as farturas (a que acresceram umas sandes de febras, coiratos e entremeada que foi o jantar). Bem, “no meu tempo” as farturas e tudo o mais eram ao pé da igreja, mas agora é um bocado depois disso e fartei-me de andar! O mal nem era andar, mas a estrada estava coberta com areia da praia para as largadas e é tão cansativo andar ali....

12.08: Almoçámos novamente em casa da minha mãe, mas desta vez estava o avô F. que no dia anterior estava a trabalhar. Fomos ver a avó.

13.08: Fomos ao Cascais shopping (consegui ir a uma sapataria!!!!), depois almoçámos com a mãe do padrinho do papá e à tarde fomos ver a minha avó, que ficou acamada e deixou de andar por completo, nem para ir à casa de banho. Começou também a ser alimentada por uma seringa.

14.08: Fomos ao Colombo (ao Continente!), fomos ver a minha avó e fomos ao Forum conhecer Uma mãe, que é uma tonta e veio de Leiria só nos conhecer e ficámos juntas apenas uma meia hora que era todo o meu tempo disponível pois foi o dia das despedidas, da minha mãe, do meu pai...
Gostei muito de te conhecer e ao marido que deve pensar que és doida e ao filho grande, grande e lindo e o anjo da tua menina que dizes ser tão reguila e que a minha é que andou a treinar para o circo a equilibrar-se em cima daquelas “beringelas” de sentar da Chicco.

15.08: A minha avó parece que adivinha pois quando a fomos visitar perguntou quando partíamos e quando lhe respondi “amanhã” ficou triste, percebeu que este era o último dia que a ia visitar. Chorou e passou o tempo todo a olhar para a amorinha, ela que tanto queria uma bisneta não chegou a brincar com ela como tanto desejava. A amorinha é a única menina.

16.08: Partida atribulada de Lisboa. O mano na sua mala Trunki empurrou a mana que tinha as mãos cheias de bonecos e caiu no chão de pedra batendo com os dentes. Muito choro, muito sangue, muita água gelada para ver o que se tinha passado, muito medo da mamã que tivesse partido os dentes e o funcionário da Air France a informar que podíamos embarcar JÁ pois as crianças pequenas podem embarcar primeiro. Disse para mandar entrar os outros passageiros, mas a funcionária, mais simpática veio perguntar se precisava de alguma coisa. A viagem correu mal com ela sempre a choramingar com dor no dente.

17.08: Aterramos em Hong Kong e enquanto comprávamos bilhetes de jetfoil o mano deu uma cabeçada à mana e voltou a haver sangue no dente.

Monday, August 20, 2007

REGRESSO


De regresso a Macau, com pouco tempo, cansada e com jetlag sinto-me como o Pato Donald na foto...
As férias que não chegaram a ser férias deixaram-me (nos) bastante cansada.
A situação da minha avó degradou-se ao longo do tempo que lá estive(mos).
Está num lar a que chamam casa de família onde estão mais 8 senhoras e há sempre duas funcionárias presentes, dia e noite.
Quando chegámos ainda andava, pouco mas andava e falava umas palavras.
Quando parti já estava acamada há uns dias, era alimentada por uma seringa e estava com fralda. Já não se levantava e ficou a chorar quando partimos e a abanar a cabeça. Sei que lhe demos uma grande alegria ao visitá-la todos os dias (excepto um que não deu mesmo) e ficou muito feliz por rever os bisnetos. Fui a Fátima a seu pedido colocar duas velas grandes que ela prometeu.
Eu aceitei a situação melhor do que tinha pensado, afinal para mim a distância é pior.
Volto outro dia, com mais novidades das férias que o tempo hoje é curto e o trabalho chama e também para ver as novidades de tantas meninas...

Tuesday, July 24, 2007

SERENIDADE


SERENIDADE
Esta é a palavra que melhor descreve o meu estado de espirito para estas férias.

A tristeza mantém-se, agora com mais aceitação que é a lei natural da vida e que o facto de ir chegar a tempo atenua a revolta. Mas custa partir e saber que esta será provavelmente a última vez. Alegra ao mesmo tempo saber que eu e os meus filhos lhe vamos alegrar os dias que estivermos de férias e que planeio visitá-la todas as tardes no lar onde está, que será esse o objectivo das minhas férias. Tenho pena de não a conseguir levar para minha casa como nos outros anos, mas precisa de cuidados que eu não sei proporcionar... se ela conseguir levo-a a passar o dia connosco...

Todos me preparam e me avisam que está mesmo muito mal, que não reconhece muitas pessoas de quem gosta, que já não anda sem ser apoiada em alguém ou ao colo como os bebés, que é preciso dar-lhe comida à boca, lavá-la e que muitas vezes já não fala, além de estar muito fraca, debilitada e magra.

Sei que mentalmente me tenho tentado preparar para o choque que acredito será maior ainda porque ver e ouvir não é a mesma coisa...

Sei que o dia de véspera de regresso a Macau vai ser muito complicado e que a despedida desta vez será A despedida... e que posso correr o risco de chegar cá e ter de voltar para trás...
E ao mesmo tempo queria estar redondamente enganada.

Esta manhã telefonaram do Consulado a avisar que chegou a autorização de Portugal para emitir um passaporte temporário para a minha filha. O funcionário, simpático disse que emitem amanhã porque como é tão caro e a validade são 6 meses é menos um dia “desperdiçado”. Agradeci, mas vou mudar o passaporte em Portugal, que se formos à Tailândia no Natal o passaporte terá de ter mais de 6 meses de validade...

Se a minha avó cá estiver talvez até vá a Portugal no Natal... não consigo, não posso fazer planos a tão longo prazo neste momento.

Logo à noite tenho de acabar de por nas malas o que falta, que já não é muito pois amanhã venho trabalhar, depois vou buscar o passaporte da amorinha e à noite vamos para Hong Kong, ficamos uma noite no hotel do aeroporto que o voo é longo e começar os dia às 4 da manhã para apanhar o avião às 10 e fazer 17 horas de viagem é obra... Assim descanso mais um pouco apesar de gastar mais...

Houve meninas que enviaram email e já guardei o vosso número de telefone e já enviei o meu. Não tenho net nem computador em Portugal e não haverá novidades neste cantinho até dia 20 de Agosto, quando volto ao trabalho.
As meninas que “andarem” pelo Oeiras Park ou pelo Forum Montijo lembrem-se de mim, a probabilidade de nos cruzarmos será grande. As outras, as que têm o meu número, “apitem”, quem sabe?...

Monday, July 23, 2007

PASSAPORTE

Comecei finalmente a por as roupas deles na mala de viagem, é sempre uma mala cheia com as coisas deles, que eu e o pai temos roupa na nossa casa em Portugal e quase não precisamos de levar nada.

À noite um telefonema para o lar da minha avó, o meu boneco muito feliz a dizer-lhe que só faltavam 5 dias... a amorinha a dizer “avó Maía” e a minha avó que não conseguia dizer nada, nada, apenas balbuciar uns sons que me pareceram não e acho que nos deixou a falar sozinhos e largou o telefone, que a senhora do lar disse que ela já não estava a ouvir e que estava um bocadinho mal.

Estas férias não têm o sabor de férias.
De tal modo que ontem à noite resolvi ir ver os prazos do passaporte para ver quando têm de ser renovados e descubro que o passaporte da amorinha caducou no dia 29 do mês passado...

Normalmente ficaria num stress que nem dormia, desta vez há valores mais importantes e tudo tem solução... E foi com este optimismo que esta manhã fui ao consulado e me deparo com uma funcionária que só me informava que tinha de ter 4 dias úteis para tirar o passaporte novo com urgência “porque os novos passaportes são assim...”, e eu estou tão pouco interessada no novo passaporte, quero é um passaporte que me permita viajar, sair de Macau... porque em cima da hora, eu sei que a culpa é minha mas agora é tarde e preciso de soluções, não problemas. Quando perguntei sobre o passaporte temporário não gostou, só me dizia que era caro e não era ali, mas do outro lado com o colega...

Depois de perguntar escrevi uma carta dirigida ao Cônsul de Macau a explicar que esta mãe desnaturada nem se lembrou que a filha já tem 2 anos e que o passaporte só dura 2 anos...Papéis preenchidos, cerca de 150 euros depois tenho de aguardar até que me telefonem amanhã para ver se Portugal autorizou a emissão de passaporte temporário para 6 meses.

Valeu-me ter a última foto dela na carteira e o negativo das fotos para mandar revelar mais e amanhã entregar a foto que falta e um funcionário simpático que não está de mal com a vida.

E, em Portugal vou ter de renovar os passaportes do boneco e da amorinha e o BI do boneco. Ai, e o tempo que se perde...

E ainda passarei aqui amanhã a contar as novidades...

Friday, July 20, 2007

Awards, Prémios e afins!

Este último mês tem sido muito complicado para mim e tenho andado um pouco afastada do blog, pelo menos dos comentários aos vossos blogs.
A situação não é fácil e há dias em que me sinto mais desanimada que outros.
Às vezes acho que não chego a tempo e outros que acho que vamos passar muito tempo juntas.
E, agora que o tempo está "do meu lado" resolvi agradecer os desafios que me passaram....

As amigas, virtuais e reais têm-me nomeado para vários prémios que têm percorrido a blogosfera e eu ainda nem os agradeci, pelo que hoje vou responder num post gigante a todos os prémios e desafios.
Parabéns a quem o conseguir ler...

Thinking blogger award

Agradeço à Tânia (minha Filhota) que me nomeou para este prémio e afinal foi ela que me deixou a mim pensar...
E poderia fazer minhas as palavras da Margarida Atheling no seu post Thinking Blogger Award porque tal como ela também acho que este blog não faz ninguém pensar, principalmente porque é um babyblog e a sua única razão de existir vai para além de mim. São os meus dois filhotes a razão de existir do meu blog e é sobre eles e para eles que escrevo, embora por vezes aqui registe pensamentos meus, pois afinal sou mãe, a mãe deles e faço parte das suas vidas. Aqui registo as suas evoluções, as minhas alegrias e tristezas, dúvidas e incertezas e escrevo o que penso, sem rodeio nem medo de ser julgada apesar da família também ler o blog pois este blog é também um elo de ligação entre Macau e Portugal
Na difícil tarefa de nomear outros blogs fiquei a pensar em quem me faz pensar, pois a maioria dos blogs que leio é porque gosto e realmente há uns que me fazem pensar mais que outros e isso pode também depender dos dias e até do meu estado de espírito.
Por mim estavam todos nomeados, mas acho que consegui escolher alguns que, pelos motivos que enumero, me fazem pensar.

Pérola Preciosa – Conheci este blog ainda não andava pela blogosfera, e foi um blog que desde sempre me fez pensar e me impressionou pela coragem desta mãe, pela sua força e pela sua luta e porque tem uma verdadeira pérola preciosa que é linda e um doce de menina!

Active Stress – Conheci este blog no dia mais triste da vida desta mãe. Não sei como lá fui parar mas quando li nem queria acreditar, era duro demais para ficar indiferente. Tenho seguido tudo porque tem passsado e que conta no blog porque acredito que passará por muito mais que nem sempre conta. Uma dor grande demais e uma grande força, um exemplo para muitas pessoas.

Sonhadora (Privado) – Depois da gaja louca nem quis acreditar quando a história se repetiu, desta vez com alguém que eu “conhecia”, que me era (e é) querido e a quem acompanhei a gravidez... Aqui doeu-me também um bocadinho e muitas vezes me faltaram (e ainda faltam) as palavras certas para deixar um mimo para fazer om que um esgar de um sorriso animasse esta mamã. Não sei se alguma vez o consegui, mas aos poucos também ela se levanta e se recompõe de uma dor que não quero nunca conhecer.

Mamããã! – quem não conhece este blog? Uma família como a minha, o menino da idade do meu, a Laurinha da idade da minha amorinha... Uma dor tão grande que nem queria acreditar que era verdade... Aprendi a dar muito mais valor à vida, aos meus filhos e a tudo e todos que me rodeiam. Chorei bastante com este blog agarrada à minha amorinha e a pensar na amora de olhos cor de céu...

Teresa Pintor (Privado) - Mais um blog privado, mas hoje em dia são tantos que se torna dificil não os nomear. Uma mãe que luta sozinha pela vida como seu filho. As dúvidas e as incertezas que nos assolam a todas, mas que pesam muitomais quando se educa sozinha, quando se tem de pesar tudo muito bem para minorar o sofrimento e a saudade pela ausência do outro elemento do casal.

Blog Amizade

Um prémio atribuído pela minha amiga Tartaruga e pela Mãe da Rita, que me deixou com a difícil tarefa de escolher 3 blogs amigos. Ora se fui nomeada duas vezes quer dizer que posso escolher 6, certo?
Bem, eu gosto de ler todos os blogs que visito e comento (agora menos frequentemente mas isso é falta de tempo e desmotivação) senão não os visitava... e no meio destes há sempre aqueles com os quais temos mais afinidade e ao fim de tanto tempo de visitas e de acompanhar o crescimento dos bebés, uma nova gravidez, as alegrias, algumas tristezas, há uns que se tornam mais especiais que outros e que por uma razão ou outra nos aproximamos mais.Peço desculpa por nomear blogs privados e um que está parado mas considero-as amigas pelo que explico. Há muitas mais que queria nomear, muitas com quem me identifico, muitas mesmo de tal modo que poderia nomear todas as da lista de reais e quase todas da lista de links (que precisa urgentemente de ser actualizada)...

Miduxe – pois mais uma vez atribuo um prémio a esta menina porque mesmo sem nos conhecer-mos e apesar da amizade virtual identifico-me tanto com ela. Partilhamos a saudade do nosso Portugal.

Sandra (Privado) – minha homónima de quem gosto muito e que antes conversávamos bastante no msn mas ela agora tem menos tempo e a diferença horária também não juda nada. É daquelas pessoas verdadeiras e amigas. Mais uma amizade virtual mas tão verdadeira e que esperava este ano transformar em real mas que já não vai dar...

Uma mãe (Parado e Privado) – porque nem sei como fui lá ter mas gostei muito e num momento difícil um email dela fez com que esta amizade virtual seja quase real.

Tânia – mais uma menina longe do seu país e que passa por situações parecidas com as minhas, que tem uma avó que adora e percebe o que eu sinto e que ainda por cima é mãe da “gémea” da minha filhota.

Sorrisos (Privado) – porque tem sempre uma palavra de carinho, porque é uma mãe linda e a admiro e faz esforços para passar o máximo de tempo com a sua filhota, e porque salvou o seu casamento e neste momento anda nas nuvens com a segunda gravidez.

E o último fica para todas as meninas que me visitam e deixam uma palavra, mesmo eu andando tão silenciosa nos últimos tempos... Obrigada por estarem aí.

Blog com grelos


A Cristina da Maternidade também me deixou um miminho: Blog com grelos que eu quero atribuir aos blogs de lutadoras que eu admiro muito e que para mim são umas grandes mulheres e mães que apenas ainda não conseguiram as suas estrelinhas.

Bem Me Quer – adoro esta menina, a sua força e admiro a sua luta, mesmo depois do revés que lhe estava reservado e que lhe tirou os seus meninos.

Nina (Sonhar nas Nuvens) – apesar do blog estar parado, esta é mais uma lutadora e adorei seguir a sua gravidez até ao nascimento do seu menino.

Tiquinha – Outra lutadora que já me fez rir e que já me deixou muito triste, mas que também não desiste e eu acredito que ela (e quem tem forças para esta luta) vai conseguir a sua estrela.

Susana Pina – sei que não me conheces, mas conheci a tua história através da Bem Me Quer e chorei muito, porque ninguém merece tamanha dor e muitas vezes penso em ti e nela. Histórias demasiado parecidas, que eu desejo que tenham um final feliz, muito feliz

Stardust – outra lutadora que já tem as suas estrelinhas lindas com ela. Uma história feliz que eu acompanhei e com a qual me emocionei tantas vezes.


Pensamentos e Cia - porque tem o blog em stand by, mas também ela é uma lutadora e um dia verá o brilho da sua estrela.

7 Maravilhas da blogoesfera

A Miminhos do Bebé nomeou-me para as 7 Maravilhas da Blogoesfera mas este já acabou o prazo para nomear.



Eu literário

Fui desafiada pela Cindy a apresentar o meu Eu Literário, que desde que fui mãe anda um pouco pobre devido à falta de tempo.
Sempre gostei muito de ler, sempre tive curiosidade e vontade de aprender, embora a minha avó não me conseguisse ajudar com as minhas dúvidas pois não sabia (e não sabe) ler.
Quando aprendi a ler, lia tudo o que apanhava porque dinheiro para livros não havia (tomara chegar para a comida quanto mais para esses luxos...) e biblioteca no campo também não e muito menos na minha minúscula escola ou na aldeia...
Depois comecei a ler mais, sobretudo na Universidade em que pedia livros emprestados às colegas.

“As aventuras dos cinco” – li na minha adolescência, devia ter uns 15 anos. Poupava o dinheiro que me ofereciam no Natal e nos anos para conseguir comprar os livros. E comprei a colecção toda que ofereci a uma prima quando vim para Macau. Revia-me nas aventuras que eles viviam e tinha um cão chamado Tim, como o deles.

“As Brumas de Avalon” – li na universidade e foi a partir daqui e do tipo de escrita que comecei a adorar e a devorar tudo o que a escritora Marion Zimmer Bradley escreve.

“Vendidas” um livro sobre duas irmãs que foram para o Iémen, escrito por uma delas depois de conseguir fugir daquele mundo terrível de que era prisioneira, deixando para trás os filhos.

“A Dor Secreta da Infertilidade” que li há uns dois anos e que me ajudou a compreender mais um pouco sobre a dor da infertilidade e sobre essas mulheres lutadoras que eu admiro muito e que fazem tudo por um filho.

Revistas e livros de culinária – adoro culinária e adoro ler e escolher receitas novas para experimentar.

The 7 Random Thing meme

Este desafio e o próximo são os mais recentes e foram-me passados pela Amélia do Benjamim:

Regras: Cada pessoa escreve sete factos casuais sobre a sua vida. Depois passa o desafio a outras sete, deixando um comentário no seu blog para que essa pessoa saiba que foi desafiada.

1. Tenho dois grandes amores: o boneco e a amorinha!

2. Quando vim para Macau achei que ia ficar por um ou dois anos, já passaram 12 anos e quase 5 meses...

3. Na minha cabeça a minha avó estava sempre presente na minha vida.

4. Adoro cozinhar e experimentar novas receitas.

5. Tenho sempre saudades do meu cantinho à beira mar plantado, e o meu filho também já o adora.

6. Digo sempre o que penso na cara das pessoas, seja bom ou mau.

7. Adoro planear férias.

Passar o desafio a 7 blogs:
Não passo a ninguém pois quer-me parecer que já todos o fizeram e quem não o fez, chegue-se à frente e faça...


Meme dos livros


As regras são: Pegar no livro mais próximo. Abri-lo na página 161. Procurar a 5.ª frase completa. Colocar a frase no blog. Não vale usar o melhor livro que têm, usem o mais próximo. Passar o desafio a cinco pessoas. Quero saber o que guardam perto do pc.

Bem, este é um pouco complicado....
Aqui no trabalho tenho muitas tralha junto ao PC, mas livros não são muitos e um com 161 páginas ainda mais complicado.
Encontrei um glossário de termos financeiros chinês – inglês e o ABC da Lei Básica da Região Administrativa Especial de Macau e a 5.ª frase completa que por acaso até é a única tão pequena e que já nem é assim tão verdadeira diz: “Macau tem seguido uma política de baixa tributação.”

Também passo a quem não tiver feito...


Cupid Award


Para terminar o Cupid Award que também veio da Cristina da Maternidade e que eu quero atribuir a todos que me visitam pois todos os blogs de um modo ou de outro falam de amor.