Wednesday, September 13, 2006

ENFIM, MACAU!

Na continuação de:
A PONTA DO VÉU I
A PONTA DO VÉU II
A PONTA DO VÉU III
VIAGEM
E ATERRAR EM MACAU!


Depois do cansaço da viagem
E da confusão e emoção do reencontro
Apanhar autocarro (ou táxi? - já não me recordo)
Para o terminal de jetfoil.
Jetfoil, mas o que é isso?
Um barco que “anda” só com 3 “pés” à superfície da água.
Mau, detesto barcos
E estava tão, tão mal disposta.
O cansaço, a falta de comer e de dormir
Aliada a todo aquele nervoso de não o encontrar
Tinha-me deixado de rastos.
Só a ideia de andar de barco
Já me deixava tonta.
E o mar é tão agitado em Hong Kong!

A viagem, já não a recordo.
Recordo o aproximar de Macau
Visto da janela do barco
E o nervos de “como será a cidade?”
De sair do barco
Completamente “bêbeda”
A trocar as pernas
Quase a desfalecer.
Não gosto de barcos
Não comia nem dormia nada de jeito
Há mais de 24 horas
O nervoso no aeroporto
Tinha-me deixado completamente de rastos.
A viagem de barco foi mesmo para acabar
Com o resto da (pouca) resistência que ainda tinha.
Passar a emigração...
Tudo/todos tão frios, nem cumprimentam!
A chegada ao carro
Um enorme ramo de rosas amarelas
O que eu adoro rosas amarelas!
O carro, um Mazda velho vermelho,
Com a parte de trás amassada
O papá tinha tido um acidente
E o pára-choques estava atado com arame.
A viagem até casa do papá
O primeiro edifício que recordo
O da CEM (Companhia de Electricidade de Macau), amarelo no Porto Exterior
Junto ao Fórum de Macau
A viagem rápida de carro
Destino final: Tói San, junto às Portas do Cerco (fronteira com a China, na altura a única)
A casa pequena,
Tão pequena que me parecia impossível
Que antes lá morassem 3 pessoas.
A casa da mãe dele
Mas onde ele morava sozinho
Da janela da pequena sala
Via as horas num relógio na China
Tão perto, mesmo ali ao lado.
A cozinha (como quase todas em Macau)
Parecia uma cozinha de brincar, de tão pequena...
Dois quartos também pequenos
O quarto do papá
E o outro preparado para me receber
A insistência do papá para que comesse qualquer coisa.
Ele saiu, foi comprar “tá pau” (take away)
Um arroz chau chau que acabei por não comer.
Estava cansada, só queria dormir...

33 comments:

Noite said...

Tenho vindo a acompanhar com interesse este teu interesante relato. Há tantas coisas que identifico com a minha chegada a estas paragens, as primeiras impressões... para mim foi um choque tanta diferença: de temperatura, de sons, de cheiros, de atitudes, arquitectónica...

Beijinhos. **

Noite said...

Um interesse interessante... :P

gaiatA said...

Pelo teu relato tudo parece estranho..
Eu g0sto de casas pequeninas, devia-me sentir bem numa c0zinha de brincar!

beijinhO*

Miminho do bebé said...

Linda já pensaste em escrever um livro? ou bem vista a coisa aqui tá tudo e nao tens k pagar nada! ups "mas tambem nao recebes!.
O que eu quero dizer é que tou adorando este capítulo da tua vida.

beijos*

Jane & Cia said...

Só hoje consegui comentar o post anterior.

Desta tua linda história vou lendo e esperando mais

Mel said...

Ai miga...Então que namorado tão respeitador ehin? Quartos separados??? Ou eram tão pequeninos que só cabia um em cada quarto???
Estou aliviada...Não foste para a casa da sogra :0)
Amanhã venho cá espreitar esta linda historia de amor em Macau (realmente dava um livro).
Bjs

Nina said...

Obrigada pelas tuas palavras, querida.
Estou a ser acompanhada por um obstetra com consultório particular, um bom obstetra ao que parece. Quanto à médica que me faz as morfológicas é considerada a melhor do país neste tipo de exames.
Quando engravidei jurei a mim própria que não pouparia esforços para que a minha gravidez fosse acompanhada pelos melhores, assim como farei quando tiver que escolher um pediatra.
Confio plenamente neles, mas a angústia apodera-se de mim porque não estava nada à espera que o meu bebé tivesse algum problema.
A minha sobrinha-afilhada, que tem agora 8 meses teve exactamente o mesmo problema(pouco frequente em meninas), na mesma altura e com os mesmos valores.
Aumentou um pouco antes de nascer, sem chegar a valores preocupantes e, quando nasceu, já estava de novo nos 5 mm(tinha desaparecido num rim).
Tem sido devidamente acompanhada desde então: uma eco com um mês de idade e entretanto outra.
Felizmente não evoluiu e só voltará a ser vista dentro de meses. Se se mantiver nos 5 mm, não voltará a ser vista por causa desse problema.
Eu sei que tendo esse exemplo tão perto de mim deveria estar mais calma, mas ainda não consegui acalmar-me porque tenho muito medo que o meu bebé venha a sofrer mais tarde.
Amiga, o meu mail é sonharnasnuvens@hotmail.com. Depois dou-te o pessoal, que não posso deixar aqui.
Gosto muito, muito de ti!
Virei ler-te muitas vezes porque tb já fazes parte da minha família:)
Beijinhos doces

Sandra said...

Isto é melhor que ler Nicholas Sparks, um dos meus escritores favoritos!

Beijinhos,

Sandra

Raquel said...

É muito agradavel ler o que escreves, os teus filhotes um dia vão ter muito orgulho na Mãe e principalmente na história das suas vidas! beijinhos

YAMI said...

Oi kida - tu de facto és lindaaaa




Yami

Sorrisos da minha Alma said...

Agora bóra lá escrever ou elaborar um livro para um dia eles se orgulharem mt de seus pais.
Beijos

Amores Perfeitos said...

bem devias estar mesmo estafada...adorei e tenho acompanhado tudinho!!

Tiquinha said...

Obrigado amiga!!
beijocas
tica

carla said...

Olha miga nem sei o que dizer...
OLha jokinhas !!!

Pensamentos Felizes said...

bem... mas que homem respeitador tu arranjaste hehe!!!! ou será que os quartos eram tão pequeninos que não cabiam lá os dois hem????
beijoquinhas marotas ;)
Cris

Ludy said...

Um verdadeiro gentleman! Um ramo de rosas e quarto preparado só para ti...
Lindo!

Ana Guida said...

foste mt corajosa pr largar td e ir pr um lugar tao longinquo e completa/ diferente...plo k vejo valeu mmo a pena :) bjns*

Rita said...

Uma chegada cansativa, mas com muito amor e carinho. Que bela recepção a do teu maridinho.

Beijinhos

rita

deixei-te um desafio no meu blog

Ana Paula said...

Esse dia deve ter sido mesmo uma reviravolta na tua vida! Tanta coisa nova para te adaptares não é nada fácil mesmo!
É como tu dizes O David foi um presente para o meu pai que ficou todo contente por ter nascido no mesmo dia que ele.
Bjs

Nita said...

Minha querida...és uma escritora...gosto muito de te ler...é a mesma sensação que se tem qd se lê um livro...consigo imaginar-te a entrar no barco...a olhar o relógio...bjinhs grandes

ps: nem sempre consigo comentar!

SaraA said...

Quero mais.... sabe sempre a pouco! Parece que estou a ver um filme romântico daqueles deliciosos...
Beijos

veliam said...

Mas que aventura, o que não se faz por amor...
Estou adorar a história, tudo descrito pormenorizadamente, escreves muito bem.

Beijinhos

mãe tataruga said...

Uma viagem atribulada...mas com um final muito feliz.
Muitos beijinhos

teresa said...

Ai amiga!!!! Que emocionante!
Estou a gostar tanto, tanto...

Miduxe said...

Isto està cada vez melhor!!!
Ainda bem que decidiste escrever, ficarà gravado neste teu cantinho...
bjs

Ps: Fartei-me de rir com a tua "força" para que seja uma menina, a ver vamos se tu e o papà da sementinha ganham!!!
bjs

cris said...

Também eu detesto barcos!!! Continuo a devorar esta história.
Beijocas

Luísa said...

Consegui finalmente por a leitura do teu blog em dia :)
Já te disse que te admiro muito?
É verdade, admiro-te muito!
Para mim tu és uma mulher cheia de coragem... Uma verdadeira mãe coragem!

Quanto à falta de paciência ou falta dela... acontece amiga, és uma mulher de carne e osso. Pior seria se não respondesses com emoção aos desafios da vida.
Por vezes também me sinto muito sozinha, sei bem do que falas.
Um beijo muito grande e um abracinho muito apertadinho

Páginas escondidas said...

:)
Eu tb adoro rosas amarelas!!! :)

RAlabaça said...

Quartos separados?!

Ler-te faz-me lembrar os romances que eu lia antigamente, aqueles que todas imaginávamos ser as protagonistas. Gostei muito...continua a história.

Bjs

cloinca said...

E mais uma vez até eu fiquei cansada com o teu relato!
Grande mulher, é o que te digo! és uma grande mulher!
Eu talvez não conseguisse.
Beijos grandes!

RAlabaça said...

Sandra,

Por vezes chamo a Sara de Xalanzinha porque o pai é conhecido pelo Xalam.
Vou colocar a explicação no blog ;-)

Musa said...

Hoje nã tenho tempo de ler tudo mas agora fiquei curiosa! E doente com a tua descrição neste post!
Beijinhos grandes!
Musa

Manela said...

Segui esta história é como estar a ler um livro, é mesmo bom vir aqui e ler mais um capitulo, espero pelo proximo.
Bjs grandes