Tuesday, January 20, 2009

MAIS TARDE

Ultimamente andado meio pensativa, dada a filosofia (barata) e meio doente.
Não sei o que tenho. Não deve ser nada, mas ando um pouco cansada e com os batimentos cardíacos acelerados. Costumo brincar a dizer que estou apaixonada, mas há umas dorzinhas de vez em quando que incomodam, uma espécie de bolha de ar que não me deixa respirar fundo.
Tenho um check up marcado e vou aproveitar as férias do ano novo chinês que se aproxima para tratar de mim como acho que nunca o fiz.

Este desconforto físico faz-me pensar sobre a razão de viver, do porquê de sofrer, de perder tempo com coisas estúpidas e fúteis. Não entendo como é que no século XXI, homens civilizados ainda fazem a guerra e matam tantos inocentes, não percebo a guerra de Israel e Palestina, assim como tantas outras que infelizmente ainda há pelo mundo todo. Não percebo o terrorismo, a fé levada ao extremo, a falta de liberdade das pessoas em geral e das mulheres em certas culturas e religiões. Não percebo o preconceito, o racismo, a xenofobia.

Andamos neste mundo tão pouco tempo. Numa vida considerada normal já sofremos tanto.
Às vezes reclamo da minha vida, do meu dia a dia, da minha falta de tempo e depois vejo as notícias e fico em silêncio. Às vezes olho apenas à volta, as pessoas que têm trabalhos duros, as que perdem o emprego, as que não têm onde viver e fico triste. Desde pequena que tenho pena, que gostava de mudar o mundo e ver toda a gente bem e feliz. Era uma utopia.

Agora apenas mudo o meu modo de ser, de dar o máximo de tempo aos filhotes, de os fazer felizes, de lhes dar uma infância feliz. Imponho limites, não bato, mas ainda grito muito, ralho e ameaço, mas aos poucos estou a conseguir que tal aconteça cada vez com menos frequência. Digo-lhes todos os dias que os amo, para que tenham a certeza, para que o saibam, porque não sabemos o dia de amanhã e um dia posso não estar cá para lhes dizer. Não estou deprimida, mas estou triste. A morte de um grande músico, João Aguardela, dos Sitiados, quase da minha idade que perdeu a luta contra o cancro, deixou-me a pensar.
Frases como “mais tarde” deixam-me muitas vezes a pensar que esse “mais tarde” pode nunca chegar e tento fazer o que posso logo e não deixar para "mais tarde".
E já não guardo “aquela roupa nova para um dia especial”, todos os dias são especiais!

Aqui deixo uma música do projecto em que o João Aguardela estava a trabalhar: http://www.youtube.com/watch?v=gkTxjL8XDgM (fica o link que não sei por o video-se alguém quiser explicar sinta-se à vontade)

15 comments:

Cindy said...

Eu também penso assim, não é ser depressiva, mas sim ver a realidade e ver que um dia já não estamos cá! Quando perdi 2 amigos, em situações diferentes, que já não via há muitos anos, senti que devia fazer um esforço para estar mais com quem eu gosto e desde o ano passado que aproveito muitos fins-de-semana para ligar ou estar com os meus amigos.
Como diz o ditado, a vida são 2 dias!

Aproveita essas férias para descansar, isso parece-me ansiedade e nada melhor do que descansar!

Quanto a colocar videos, em vez do url, colocas o embed e o vídeo sai directo!!

Um beijo bom, cheio de energia positiva.
"Carpe Diem"

Cristina said...

Quando ouvi a notícia, deixou-me a pensar muito. Tão novo, a vida é mesmo efémera...

Cristina

Tita said...

A vida surpreende-nos todos os dias...
Bjs grandes em vós

Sandra said...

Olá Sandra,

pois também eu fiquei incrédula com a notícia... músico da nossa geração...

a vida é realmente efémera e temos de a aproveitar o melhor possível, junto dos que amamos e nos completam!

Bj grande e gostei de saber que vais fazer exames médicos e tentar perceber o que se passa.

Fica bem

Lisa_pt + Gil said...

Às vezes tb tenho esse tipo de pensamentos... e ainda mais nos últimos dias, desde q o meu avò faleceu q penso mts vezes nesse tipo de coisas.
Tb soube ontem da morte desse músico e lembro-me de ter dito logo q ele seria pouco mais velho q eu...

Mas a verdade é q estes pensamentos ñ nos levam a lado nenhum, portanto há que viver um dia de cd vez!

Beijokas gds

Carla O. said...

Pois é Sandra, basta não nos sentirmos a 100%, basta perdermos alguém que amamos muito, basta notícias como a do João Agualusa para percebermos demasiado bem que não somos eternos e que temos que aproveitar da melhor maneira o tempo que cá estamos - principalmente quando olhamos para os nossos filhos.
Percebo-te perfeitamente. Obrigada por mais este 'despertar' :)
Beijo grande e trata mesmo bem de ti, ok?

ameixa seca said...

Eu às vezes penso que poupo tanto, impeço-me de fazer certas folestrias e de um momento para o outro posso transformar-me em pó! Fiquei estupidificada com o que aconteceu com o Aguardela e não só. Tivemos o exemplo da blogueira Nanda que nos deixou muito jovem. Infelizmente a ordem natural das coisas está de cabeça para baixo. Essas dorzinhas que sentes, eu sempre tive e já há muito que não tinha e este fim de semana voltaram. A mim parece que me estão a picar junto ao coração e não consigo mesmo respirar. Já fui ao médico, não fiz exames porque a médica disse-me que era ansiedade mas eu acho que todo o cuidado é pouco!

Carla O. said...

Sandra, tenho um prémio para ti no meu canto, quando puderes vai espreitar, ok?
E só agora é que dei conta que me enganei no nome do João Aguardela (mas desde ontem que lhe troco o nome :S)
Bjs

Silvia said...

Penso que todos temos alturas assim em que paramos e pensamos na vida. Espero que melhores rapidamente e que não seja nada! Muitos beijinhos :)

Sonhadora said...
This comment has been removed by a blog administrator.
AB said...

Também soube da noticia e fiquei triste. Infelizmente, a morte não escolhe idades e cada vez estas chamadas doenças modernas atacam mais e mais gente.
A vida é uma aventura.
Beijinho

Sofia,Pedro e Joana said...

Olá mamã, realmente a vida prega-nos partidas destas, quando menos esperamos e o ponto da questão é que nunca estaremos preparados para tal...
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Anonymous said...

Li o teu comment no blog d'A Naifa e identifico-me em tudo com o que escreveste lá e com o que escreves aqui. Tb em relação a tentar controlar as reacções com os miudos e conseguir, pouco a pouco, pequenas vitórias...
A vida é f....
beijos
Calamity

Ludy said...

Olá querida!
Cada vez mais me apercebo que nao devemos pensar no "mais tarde" cada vez mais o "mais tarde" tem que ser hoje!
Perdi um familiar há poucos dias...alguém que trabalhou arduamente a pensar no "mais tarde" e num ápice deixou de fazer parte deste mundo...
Desculpa o desabafo...
Quanto ao que tens estado a sentir, eu há cerca de 3 anos atrás sentia uma pontadas fortes no coração que até me tiravam a respiração...fiz electrocardiograma, prova de esforço e não acusou nada...


beijos para voçes

Miduxe said...

o que me revejo neste teu post....principalmente no grito muito com eles mas digo-lhes que os amo para não terem dúvidas..e tb fiquei chocada com essa morte precoce...
bjs meus