Monday, June 04, 2007

CASAMENTO CHINÊS

(Aviso à navegação: Post extrememente longo)


Fui a um casamento no passado domingo.
Quando cheguei a Macau e tudo era novidade ficava como as crianças: ansiosa por ir, por ver como era.
Hoje em dia prefiro não ir, mas há certas pessoas que me são muito queridas e, apesar de ser mais um casamento em Macau, mais um casamento chinês, foi o casamento de alguém especial e muito querido: o meu amigo Z.!
E ele estava tão feliz, era algo tão importante para ele. Já tinha planos e ainda nem tinha namorada, já tinha tudo planeado quando o conheci e devia ter os seus 22 anos, acabadinho de sair da universidade...

A data do casamento é escolhida por um mestre de feng shui, de acordo com a data de nascimento dos noivos. Muitos deles casam no registo e depois fazem a festa noutro dia.
Os noivos convidam amigos e conhecidos, mas os pais dos noivos também podem convidar amigos que os noivos não conhecem, amigos que também não conhecem os noivos, apenas os pais.

Os convites são enviados e convidam a pessoa cujo nome consta do envelope não sendo extensivo à família excepto se estiver lá escrito “e família”.

Se for a noiva a convidar costuma haver um envelope vermelho de “lai si” com um cartão para ir à padaria lá mencionada buscar 12 bolos sortidos, uma espécie de cheque-bolo.

Vem igualmente um pequeno envelope de agradecimento que tem uma moeda de uma pataca. É um pouco agradecimento por antecipação, porque decerto que a pessoa convidada irá entregar um “lai si” aos noivos.

Muitas vezes o convite é uma foto de casamento dos noivos, ou melhor, uma foto tirada em estúdio ou em determinados locais a que os fotógrafos levam os noivos. É normal tirar fotos e fazer um álbum bonito antes do casamento mesmo, nesse dia tiram mais fotos com os convidados. Por vezes estas fotos dos noivos estão num álbum à entrada do restaurante onde se realiza a cerimónia ou/e são mostradas no filme que é feito desde que os noivos nasceram até ao casamento.

O casamento, apesar dos noivos serem de outras religiões que não a católica (budista é a mais comum) fazem a cerimónia na igreja, porque é bonito, submetendo-se a todas as cerimónias necessárias para tal, como o baptismo.

Há pessoas que são convidadas para assistir à cerimónia religiosa, outras para o banquete e outras para as duas. Fui convidada para ambas.

“Torrei” no calor abrasador de domingo às duas da tarde no meu vestido teoricamente fresco que não impedia que o suor escorresse e o castanho escuro passasse a um tom “molhado” em determinados sítios e nem o ar condicionado e as ventoinhas da igreja que trabalhavam sem parar evitavam que os convidados (talvez uns 50) usassem o livro do casamento para se abanarem numa tentativa vã de se refrescarem. Eu incluída.

Depois de andar até à igreja e de as pessoas por quem passei terem pensado que era doida pois aqueles saltos e aquele vestido não combinam com um dia de domingo, muito menos assim quente.
Cheguei mesmo em cima da hora (efeito de duas horas no cabeleireiro a tentar encaracolar os cabelos com um “ferro” porque não têm os rolos, num penteado que não chegou à cerimónia nocturna), cumprimentei o sorridente (e aposto que escaldante noivo pois com aquele calor ele estava impecável no seu fato de casaco e colete!) e encontrei um espaço para me sentar.

A noiva entrou sorridente pelo braço do pai e segui-se a cerimónia em chinês que deve ter durando uns 30 minutos.
Depois as fotos da praxe dentro da igreja e outras à porta da igreja.
Claro que com a minha sorte me calhou à porta da igreja com o sol a torrar-me os miolos...

Normalmente depois da cerimónia religiosa e da sessão das fotos com os convidados presentes, os recém casados e alguns amigos dão uma volta por Macau e ilhas para dar sorte (?) e tirar mais umas fotografias.
Eu e uma amiga fomos ao café comer qualquer coisita e beber um refrescante ice-tea!
Pusemos um pouco da cusquice em dia e fomos para casa, que eu ainda fui aproveitar para ir com o boneco a a amorinha ao jardim (depois de vestir uns jeans, claro!).

A partir das 16 ou 17 horas os convidados podiam começar a ir para o restaurante para jogar “mahjong”, uma espécie de dominó chinês...

Eu fui com a minha amiga um pouco depois das 20 h.
À entrada está um “comité de recepção” que nos indica uma faixa de tecido, normalmente vermelho mas o do meu amigo era uma impressão em tecido de uma foto dos noivos. Ali escrevemos votos de felicidade eterna....
É esse mesmo comité que nos indica a mesa onde nos devemos sentar...

Ao entrar vemos a noiva no palco com um vestido vermelho a tirar fotos com os convidados.
As noivas chinesas têm de mudar de vestido pelo menos 3 vezes durante o jantar. A noiva do meu amigo começou na igreja com o vestido branco ocidental que às vezes voltam a vestir no jantar, mudou um vermelho (o que tinha quando cheguei, não sei se terá usado algum antes...), mais tarde mudou para um branco, também de noiva, mas diferente do da igreja, mais tarde um azul e, finalmente um em padrão chinês, vermelho.
Por vezes, altera também ligeiramente o penteado.

Antes do início do jantar cortaram o bolo de noiva fingido (e não há nenhum verdadeiro, é só para a foto) e houve lugar a discurso de agradecimento de um noivo muito, muito feliz que cantou uma canção em chinês à sua bem amada.

No jantar são servidos 12 pratos, alguns deles cujo nome soa bem, como o “fat choi”, uma alga chinesa cuja pronúncia é a mesma de felicidade. Normalmente a ementa destes casamentos é muito parecida, variando ligeiramente de um restaurante para outro.

Depois de 3 pratos é servida a sopa de barbatanas de tubarão e é aqui que os noivos e a família vão de mesa em mesa brindar com os convidados.

O jantar continua e quando é servido o último prato de fruta e doces os noivos e família vão para a porta do restaurante para cumprimentarem os convidados enquanto eles vão saindo. “Quando acaba a comida, acaba-se a festa”. Muitos levam para casa “tá pau” (take away) das comidas servidas, basta pedir ao empregado quando este retira o prato para servir o novo, para colocar a comida numa embalagem para levar.
Levam igualmente a lembrança que está na mesa no lugar de cada pessoa e que no caso era uma embalagem em dourado ou vermelho (as cores mais usadas no casamento) com dois bombons.

À saída, e tendo ficado mesmo para o fim já só estavam os noivos à porta (eu não gosto de cumprimentar tanta gente que não conheço!) e ainda tivemos tempo para brincar com ele a dizer que daqui a um ano queremos outro tipo de festa que ficou prometida! Um noivo feliz, feliz e uma noiva muito bonita, simpática e acho que também feliz!

Continuo a gostar mais dos casamentos “de Portugal”, aqui tenho a sensação que é apenas comer e ir embora, há pouco convívio entre os noivos e os convidados.

17 comments:

Mãe Gabi said...

Realmente tradicções bem diferente das nossas!
O que interessa é que sejam muito felizes!
Bjs e boa semana

Liliana e benny said...

Tradições bem diferentes, mas o sentimento q os une é igual é qualquer parte do mundo:)
Que sejam felizes!
Beijinhs e boa semana*
liliana.benny@sapo.pt

Andrea said...

Sem dúvida diferente mas com o mesmo significado! :)
Beijocas!

eu-sei-lá said...

olha eu gostei de ficar a conhecer como se realizam os casamentos aí.
Beijocas
Ruth+Diogo

Luz de Estrelas said...

Para nós, algumas coisas são estranhas, como essa do bolo a fingir e de ter de mudar de roupa três vezes. Mas n percebi uma coisa: o cheque bolo é dado aos convidados? Ou os convidados é que dão aos noivos?

Tatarugo said...

Tambem gosto muito de jogar mahjong:D
Apesar de ter sido diferente, este casamento fez-me lembrar um a que assisti em Agosto de 2004, a poucos dias do meu rebento nascer. Julguei que morria com tanto calor....
Já vi a tua barrinha de Portugal, espero que tenhas um tempinho para nos revermos:)
Um beijinho muito grande
(por ca o calor tambem ja começa a apertar)

Lita said...

As tradições é o que nos diferenciam dos outros povos e países. Mas o casamento chinês é uma maratona! Achei graça eles serem baptizados para casar pela igreja católica. A religião budista não tem cerimónia de casamento?

Um beijinho grande.

Lita

Sandrocas said...

Que maratona....
O que interessa é que sejam felizes, né?!
Eu na minha pequena hora de almoço, que não dá para ir a lado nenhum, tb costumo jogar mahjong aqui no computador do trabalho... é fixe o jogo.

Beijinhos e boa semaninha

maria-joão said...

Adorei ler esta escritoreportagem de casamento chinês.

YAMI said...

Linda

Realmente a cultura difere tanbto!!

uma beijica grande grande

yami

Sonia&Mi said...

Adorei ler.
Gosto tanto de conhecer outros costumes e tradições :D

Cláudia said...

Organizar um casamento desses deve dar uma trabalheira :)
Mas gostei da tradição... muito diferente da nosssa :)
Beijinho

Monica said...

Que giro :) gosatei muito de ler, obrigada pela descrição hehe
Quanto aos nossos casamentos tambem acho que são mais "pessoais".
Beijocas

Mamã dos birrinhas said...

Que giro ;)

Adoro conhecer os costumes de outras culturas!

Obrigada pela descrição.

Beijinhos

Tânia said...

Achei várias coisas curiosas, uma das quais o tempo que medeia entre a cerimónia e o banquete. Curioso...
O bolo falso é que realmente n me entra na cabeça ;)
Beijocas

Gostei mt do post, mt mt ... pictórico

Gioconda said...

Ai eu adoro mesmo quando tens aqui posts que falem sobre as tradições daí, perco a ler e nunca me canso...

Cindy said...

Gostei de saber dos casamentos daí!
Achei estranho o facto de não haver bolo verdadeiro!
Beijokitas!