Thursday, April 19, 2007

MEDOS

O meu boneco mal aprendeu a andar caiu na relva acabada de cortar. Estava de calções e picou-se nas pernitas. Ficou com um autêntico pavor à relva!
Para ir com ele ao jardim tinha de ter a certeza que não havia apenas relva, mas também betão.

A juntar ao medo pela relva havia o medo da areia que me impediu de ir à praia estes anos, ficámos sempre pela piscina. O medo da areia não tinha explicação, levei-o à praia ainda pequeno, com 7 meses, em Phuket, na Tailândia e molhámos os pés na água e andámos na areia e ele não gostou. Nem da água nem da areia.
O barulho das ondas assustou-o, a areia incomodou-o.
Repetimos uns meses mais tarde (Agosto), em Portugal, mais propriamente em Vilamoura e a reacção foi a mesma, pelo que decidimos não insistir.

O papá ia com ele à piscina em Macau e, na Tailândia, ficávamos pela piscina e uns passeios pela “marginal”. Uma tentativa de ir à praia e dele ficar nas cadeiras que se alugam, bem longe do mar resultou apenas em muito choro, uma tentativa de suborno minha em que me oferecia para lhe comprar uns brinquedos para ele ficar na praia, mas que também não resultou. Desisti de vez!

Entretanto, o medo da relva passou mais cedo que o medo da areia.
Aos poucos começou a pisar a relva em casa do meu pai, muito a medo.
Depois de cair na relva, que não tinha sido acabada de cortar, e verificar que não picava as idas ao jardim passaram a ser muito mais animadas e ele tinha mais espaço por onde correr.

Foi também a brincar no jardim que, aos poucos, começou a perder o medo da areia.
Começou a andar na areia, algo que durante muitos anos foi missão impossível e a brincar com a areia, embora ele ficasse em “sítio seguro”, em cima do betão a brincar na areia com as pás e baldes da praia.
De cima do betão passou para a areia, mas nunca gostou muito de se sujar e passava o tempo a pedir para limpar as mãos. Não o consegui convencer a ir à praia, afinal a areia agarra-se aos pés...

No passado domingo, um dia espectacular em Macau com 30 º C de temperatura ele pediu para ir brincar no jardim, com a areia e levou baldes e pás da praia.
No jardim ficava frustrado porque a areia demasiado seca não dava para fazer as formas que ele imaginou na cabeça dele. O papá sugeriu ir à praia, do outro lado da rua, mesmo em frente ao jardim e ele inicialmente recusou.
Continuou a brincar e a mana sempre à volta dele, a imitá-lo.
Mais uma forma que não se aguentou e mais uma sugestão de ir à praia ele aceitou e lá fomos.
Ficámos longe, o mais longe possível do mar e ele esteve a brincar na areia. Foi a primeira vez, desde que nasceu, que foi à praia e ficou lá.
O papá ajudou à brincadeira indo buscar água para ele conseguir fazer os buracos e os bonecos que queria.
A mana também quis água e também escavou a areia sem qualquer medo e ainda foi atrás do papá em direcção à água para lhe pedir água também para ela.
Ficámos uma hora na praia, eles a brincar e eu a tirar fotos, afinal pode-se considerar que, finalmente, o medo da areia foi vencido!

O medo do barulho das ondas continua, mas esse demorará mais algum tempo a passar.
Sem pressas e sem pressão chegamos lá!

Parabéns boneco por mais este passo.
Amo-te muito!

20 comments:

alice+duarte said...

Olá

há coisas que são mesmo assim, e admiro a vossa paciencia.

Pelos vistos deu resultado pq ele ja quis ir a praia.

Qualquer dia vai querer ir á agua e já nao vai querer outra coisa!

bjs

alice+duarte

Piquinota said...

Para vencermos os nossos medos, é preciso algum tempo e muita paciência! E com os Piquinotes é igual!

Jinhos

Cristina said...

Gostei muito da descrição. Devagarinho, vamos vencendo os nossos medos. Crianças e adultos...

Bjos

Cristina

Teresa- filipeecompanhialda.blogspot.com said...

O teu boneco anda em conquistas!!! Parabéns!!
beijinhos

Ana Paula said...

È assim mesmo devagar sem pressões. E ele tem superado todos os medos e por isso está de parabéns.
Hoje fiz um post sobre areia, porque o david também tinha medo da areia.
Beijinhos

Monica said...

E é assim que vai ultrapassar todos os medos, devagarinho, com o vosso apoio incondicional :)
beijocas

Sandra said...

É isso sem dúvida. Temos de saber respeitar os timmimngs deles. Eles chegam lá, sempre!

Um grande beijinho

~Su~ said...

Deves estar muito orgulhosa do teu Boneco por ter combatido este medo. É que se até para nós os medos são obstáculos por vezes intransponíveis, imagina para uma criança pequenina... Sinto-me muito feliz com mais uma conquista e aposto que até o teu menino sentiu que tinha crescido mais um bocadinho com esta ida à praia :)

Beijinhos!!

Tixa said...

Tens todas as razões para estar orgulhosa do teu boneco. Nada como não forçar, como encaminhar para se perder o medo...estão no bom caminho...
E daqui a uns tempos já só vai querer andar no mar...
Um bj enorme

Anabela & Lara said...

´´e preciso muita pacencia

jocasss

RAlabaça said...

Eu tenho uma prima que era igual ao teu boneco. O mal da história dela é qeu quando íamos à praia os irmão gozavam com ela e puchavam-na para a água. Ela fica aterrorizada.

Já por volta dos 16 anos, começámos as 2 a ir sozinhas para a praia. E aí, sem pressões, nem medos nem complexos, ela entrou naturalmente na água.

O teu boneco vai perder o medo, mas será ele sozinho a vencer essa "fobia", e a vossa ajuda tem sido preciosa, deixá-lo seguir o seu ritmo e a sua vontade.

Beijocas de PArabéns.

Cláudia said...

Tadinho do boneco...
Julgo que vai passar este medo :)
Beijinho grande

lobitas said...

Todos nós temos ou tivemos medos... é mais uma das etapas da vida... vencer os medos ... mas penso realmente que todos temos medos... neste momento tenho muito medo do futuro
Tudo de bom para voces beijinhos grandes da alcateia

Anokax said...

Tá um homem :)
Venha a proxima etapa!
Uma Optima sexta e Beijox

Mãe Frenética said...

Q post interessante. Nunca tinha pensado nos medos e de facto, nos miudos, há alguns.

Ainda bem q os do teu vao passando, tadinho...

Tânia by Cyprus said...

Parabéns Boneco, estás a ficar um crescido!!

Acho normalissimo estes medos e voces fizeram bem, tentavam mas sem dramas.

Está quase... os 2 anos da amorinha. Preparativos?

Rute e Afonso said...

Há que ter paciência...quem é que não tem medos?

Pois é,por aqui as coisas não têm sido façeis.

Beijocas

Noite said...

Os meus nunca foram muito medrosos, mas com naturalidade lá vão ultrapassando os que têm. Neste momento, ele tem medo de cães, ela de formigas!

A mamã said...

bOM QUE LINDO BONECO ..PARABÉNS POR MAIS ESTA ETAPA VENCIDA E PARABÉNS AOS PAPÁS PELA PACIENCIA E COMPREENSÃO
bEIJINHOS
PAULA

Amélia do Benjamim said...

Aqui o Benjamim ainda só tem medo do barulho das máquinas e das retroescavadoras, aflige-se de tal maneira que sobe por nós acima!
Taditos.
Depois passa, tudo passa.
Beijinhos