Thursday, September 02, 2010

8 PONTOS

A amorinha caiu na piscina, na aula de natação e bateu com a cara no chão. Fez dois cortes no olho, um por cima e um por baixo no canto exterior do olho esquerdo. Caiu e ninguém viu, ninguém sabe dizer como foi... A responsável da Associação de Natação telefonou quando estávamos a sair do trabalho a avisar o pai que ela tinha caído, que tinha batido nas escadas e feito um corte grande.

Voámos para lá e mal a vi com um penso de gaze no canto do olho fiquei logo desanimada. Espreitei e vi que o corte era bem fundo. A amorinha diz que não tinha os óculos da piscina, que bateu no chão e não nas escadas. Ela quando cai nunca põe as mãos à frente da cara…

Fomos com ela às urgências pediátricas, mas nestes casos vai para a urgência geral, trauma. Uns minutos depois do registo foi chamada para a triagem, eram 18:28 e a enfermeira disse logo que o corte era muito profundo e precisava de pontos.
Entretanto foram chegando ambulâncias que passam à frente de quem está à espera. Esperámos até perto das 20h quando finalmente foi chamada.
O médico também disse que precisava de pontos. O pai ainda perguntou se não podiam utilizar os autocolantes, mas o golpe era no olho e fundo, além de estar ainda a sangrar um pouco, pelo que o médico experimentou mas não deu.

Ainda houve direito a uma pequena discussão entre o médico e eu porque me mandou embora para coser a ferida e eu disse que não saía. Inventou que não tinha espaço que eram 3 pessoas, para segurar a amorinha e para coser e para dar os instrumentos, mas eu avisei que não saía, que ela ficava mais calma se eu estivesse lá e que quando foi do boneco também tinha ficado. O médico acabou por desistir de discutir comigo.

O médico disse para deitar a amorinha na cama e para ela fechar os olhos e não se mexer.
Tapou-lhe a cara com um pano que tinha um corte redondo que ficou na zona da ferida.
Ficou um enfermeiro aos pés da cama da amorinha, talvez para a segurar se ela se mexesse e a enfermeira ao lado do médico a desinfectar os instrumentos necessários.
Eu fiquei à cabeceira da cama a segurar-lhe a mão que ela pôs para cima para eu segurar.
Tal como tinha feito com o boneco há muitos anos, fui falando sempre com ela e fazendo festinhas na mão.
Expliquei que o doutor estava a limpar a ferida e doía um bocadinho. Depois disse que o doutor ia dar uma injecção para tirar a dor da ferida, que doía a espetar a injecção, mas que depois passava.
E quando ele começou a coser, disse-lhe que fazia um pouco de impressão mas que não devia doer e perguntei-lhe e ela disse que não doía. E fui-lhe dizendo sempre para não abrir os olhos, não chorar e nem se mexer senão o doutor fazia dói-dói sem querer.

O médico estava admirado por ela estar tão quieta e o enfermeiro e a enfermeira acabaram por ir cuidar de outros doentes pois parecia que não havia menina.

O corte por baixo do olho, mais profundo precisou de 4 pontos. O corte por cima do olho também precisou de 4 pontos pois embora menos profundo era mais comprido.
Quando o médico começou a coser o corte por cima do olho a amorinha queixou-se de dores e ele deu-lhe mais anestesia e mesmo assim nos últimos dois pontos ela dizia que doía. Fui-lhe sempre dizendo que estava quase e quando acabou ela ficou muito contente. E eu também!
Agora precisa de ir todos os dias ao Centro de Saúde para desinfectar a ferida e no dia 6 tira os pontos.

Hoje, quando fomos ao Centro de Saúde, a enfermeira disse que tinha tido sorte não ter sido mesmo no olho, dentro do olho e eu nem quero pensar nisso. A enfermeira também diz que a cicatriz não deve ficar muito grande e eu só espero que ela tenha razão.

7 comments:

Costinhas said...

Ora bolas, as melhoras dela.

Beijinhos

Mãe Gabi said...

Imagino o susto as melhoras!bjs grandes

Anabela said...

Puxa miga,isso é que foi um susto,mas vai correr tudo bem,bjs

Tita said...

:(
As melhoras rapidinhas dela.
Beijinhos

Rosalino said...

Bem guerreira a tua menina. Nada como a Mãe por perto para saber acalmar.
Espero que recupere bem rapido sem ficar com grande cicatriz

Rosalino

ameixa seca said...

Tadita, mas as cicatrizes são sexys he he Hoje em dia há mais cuidados e elas mal se notam. Foi uma corajosa a nossa Amorinha :)

maria-joão said...

Menina corajosa. E aqui está mais prova para cimentar a minha (e de mais gente)opinião de que muitas vezes as crianças teem medos porque nós lhes ensinamos. Tivesse ela ao lado uma mãe chorosa e em pânico e teria sofrido bem mais. A Amorinha teve mais sorte do que o não ter sido no olhinho, teve também a sorte de ter uma mãe que, independentemente da angustia que lhe ia no coração, soube e conseguiu manter-se com a calma que a menina precisava. Como é bom ter uma mãe assim... a minha também era assim quando eu era menina. E ainda hoje é.