Friday, January 26, 2007

TSUNAMI: DOIS ANOS E UM MÊS DEPOIS

Tsunami
Esta palavra fará para sempre parte do meu vocabulário, da minha vida e da vida dos meus filhos.
Passam hoje dois anos e um mês.
Não é uma data a celebrar, ou talvez seja, depende do ponto de vista.

Quando passaram dois anos eu estava em Portugal e, claro que não me esqueci da data, nem tal seria possível porque na televisão foi mencionado, mas não consegui registar aqui.

No início desta semana sonhei com o tsunami, com as ondas que não cheguei a ver...
Voltei a sentir a aflição, passaram pela minha mente as imagens que retive naquele dia.
A água, o barulho, fugir, o meu boneco, eu grávida...

Já uma vez escrevi sobre o tsunami e sobre a sorte que tive(mos).
Hoje quero celebrar os dois anos e um mês de uma nova oportunidade de nada nos ter acontecido, de ter dado um novo valor à minha vida e à dos outros, de dar mais importância a pequenos gestos, de me preocupar menos com o ter e mais com o ser.

Há coisas que nunca esquecerei, há imagens que me impressionaram tanto. Tantas e tantas histórias, tanta e tanta dor...

Vou reter para sempre na memória o meu primeiro terramoto, o barulho do mar a rebentar o que estava no seu caminho, o que não vi e apenas ouvi, o que pensei ser um atentado terrorista; o pavor das pessoas que corriam para dentro do meu hotel, sem que ninguém explicasse o que se passava; o desespero de quem me respondeu, o terror na voz, a água a cobrir a piscina à frente do meu quarto, a chegar ao meu quarto, eu de mão dada com o meu boneco a pensar em pô-lo a salvo de algo que nem sabia o que era, a preocupação, as pessoas feridas, braços partidos, enrolados em toalhas ensanguentadas, a pé a caminho do hospital, o desespero de muitas pessoas que encontrámos, o carro que avariou, a entre ajuda, a exploração, a preocupação por quem estava longe, o nosso nome na lista de incontactáveis...tantas, tantas memórias.

Porque o recordo hoje? Talvez porque sonhei com isso esta semana...
Talvez porque me sinto feliz porque não nos aconteceu nada.
Bom fim de semana!

28 comments:

Anonymous said...

Há acontecimentos que não podem ser esquecidos...porque felizmente não sofreram nada, porque podem recomeçar, porque cada dia é uma página em branco na qual podem escrever, porque outros sofreram e sofrem, porque esquecer é deixar morrer as vítimas de novo....a vocês que, felizmente, nada sofreram votos de que aproveitem mais esta chance na (e da) vida, aos familiares e amigos dos que não tiveram a mesma sorte, todo o conforto e apoio do mundo!
Susana Ramos

Sandra said...

Só posso imaginar a aflição...Também não esqueço esta data, 26 de Dezembro de 2004, a minha avó chorou ao ver a aflição das pessoas na televisão e...faleceu a 27 de Dezembro de 2004, no dia seguinte.

Beijinhos e um óptimo fim de semana.

Piquinota said...

Às vezes, o facto de termos sorte, de termos escapado é mais um motivo para nunca esquecermos!!
E um motivo para darmos graças a Deus!!

Jinhos

Anna72 said...

São acontecimentos que deixam sempre marcas :( Se até a nós impressionou e apenas assistimos pela TV não imagino o que vocês sentiram!

Beijocas

Carla O. said...

Emocionei-me...
Arrepiei-me...
E dei graças porque vocês estão bem.
Um beijo muito grande.

mãe tataruga said...

Acredito que ainda te arrepies de cada vez que te lembras do que aconteceu......:(((
Foi terrivel
Um beijinho
Bom fim de semana

As minhas melodias said...

è algo de tão terrível que tb não me sai da cabeça. Nesse dia posto sempre algo relacionado com essa catástrofe.
BJs

Tiquinha said...

é impossivel esquecer, ainda hoje me comovo quando se fala disso; eu tenho um carinho muito especial pela asia.... foram dias terriveis, eu acabei por ver um rosto familiar na televisão, e semti-me impotente!
Não sabia que tinhas lá estado!!
beijocas
tica

Ângela e Daniel said...

Ainda bem que não vos aconteceu nada, mas esses acontecimentos marcam para sempre a vida de uma pessoa.

Jane & Cia said...

Há acontecimentos que passam por nós para nos fazer re-pensar, re-nascer... percebermos o quão preciosoo e frágil é o equilíbrio da vida!


Das noites, tal como as minhas, espero que as excepções de tornem regra em breve!

Marita said...

Foi uma tragédia horrivel.
Graças a Deus que não vos aconteceu nada!

beijinhos

cris said...

Acredito que nunca irás esqueçer essas horas de horror, mas lembra-te sempre que tiveram sorte amiga, muita sorte, e foi uma dádiva.
Beijos grandes

Gioconda said...

Bem eu não fazia a menor ideia que tinhas estado lá no local... estes teus posts sobre o assunto foram em alturas em que não passei por cá.... fiquei siderada agora quando li o relato na primeira pessoa... tiveste realmente muita sorte... não sei se tens alguma relação especial com Deus, mas se acreditas deves ter muito que lhe agradecer... senão... deves considerar.-te mesmo uma mulher de muita sorte... Felizmente que para vocês teve um final feliz.

vera said...

olá amiga

lembro-me perfeitamente de ler o teu relato ... essas coisas nunca se esquecem.

jocas
vera

rute28 said...

O meu coração bateu forte agora não sabia...mas estás aí com a tua familia ... nada vos aconteceu mas as memórias essas são para sempre ...
beijinhos!!

Gina said...

Foi horrível! Nem quero pensar nisso... Graças a Deus que vocês ficaram bem!

Beijos

Teresa said...

Engraçado mas vocês são a 2ª família de Macau que estava lá no dia do Tsunami e não aconteceu nada!!! Sorte ou um anjinho da guarda muito atento!!
Beijinhos

Ana said...

Gracas a Deus nao vos aconteceu nada. Nesse dia quando vi o Tsunami na tv fiquei imovel, aterrorizada porque desde muito nova que tenho um pesadelo de uma onda negra enorme como um muro muito alto que se abate sobre a terra destruindo tudo. Aquilo era o meu mais antigo pesadelo.
26 de Dezembro foi um dia negro, num mar de lagrimas...

Ana Guida said...

visto na tv foi horrivel, viver d perto nem qero pensar... bjns*

mamã gaivota said...

Tremo só de pensar se tal me acontecesse. Só consigo imaginar a aflição!

Clau said...

SEm duvida são coisas que marcam.
Beijinhos e bom fim de semana

Patrícia M said...

So de ler, fiquei arrepiada...

Bjs

Rabiscado por papás said...

Olá Sandra,
estes tipo de acontecimentos deixam sempre marcas, lembranças desagradáveis.
Por muito que soframos e sejamos solidários mas não nos passa pela cabeça o que sofreste...
Beijinhos

kuka said...

Também me sinto feliz por não te ter acontecido nada.

Anonymous said...

Há coisas realmente impossiveis de se esquecer... Ainda bem que, para voces, acabou tudo em bem!
Beijinhos!

PS: obrigada por teres partilhado a maneira como fazes com o teu boneco para falar em portugues. Comecei ha uns dias a tentar o metodo a ver no que dá :)

Bem Me Queres said...

Nem consigo imaginar o desespero das pessoas que viveram esse terrível dia. Morrer afogada é um dos meus maiores pânicos....nem quero pensar!
Bjs docinhos e xô com esses pesadelos

Helena said...

Para quem só viu na televisão já foi suficientemente assustador, nem consigo imaginar como foi para quem esteve tão perto.
beijocas

edelweiss said...

Não sabia que tinhas passado por tamanho horror.Acredito que se veja a vida de uma forma diferente depois de se viver um acontecimento desses.